Pular o menu
 

The Game Station

A história completa: Silent Hill 1

:: 17 minutos de leitura

Vamos conhecer a história completa de Silent Hill 1!

AlastairAutor(a)

Alerta de spoilers: esta matéria contém spoilers sobre a história do jogo!

Ficha técnica

Silent Hill é um jogo do estilo survivor horror desenvolvido pelo Team Konami e publicado pela Konami para PlayStation 1 em janeiro de 1999.

Sua jogabilidade segue o padrão semelhantes aos jogos survivor horror da época, como os aclamadíssimos Resident Evil e Alone in the Dark, com câmera em terceira pessoa, com exploração do cenário e soluções de puzzles para avançar na história. Também podemos adquirir diversos itens como pistolas, armas brancas e itens de cura, chaves e diversos.

Sua maior característica que o diferencia dos jogos do gênero da época são seus cenários em 3D procedurais (são gerados instantaneamente) diferente dos cenários pré-renderizados (uma foto estática usada como cenário). Essa técnica era pouco usada devido às limitações de hardwares da época.

Uma das desvantagens do uso dessa técnica era o surgimento gradual do cenário ao fundo, e isso, para um jogo de terror, pode ser bem ruim. Então, os desenvolvedores de Silent Hill buscaram a melhor saída para “mascarar” a renderização do cenário: eles adicionaram uma espécie de névoa no ambiente, limitando a visão do jogador para os cenários que surgiam. Apesar de parecer meio estranho, é algo que foi muito bem utilizado, pois eliminou um problema para os desenvolvedores e adicionou uma ambientação ainda mais intensa ao jogo. Essa névoa se tornou uma característica da série, sendo utilizada em seus jogos seguintes.

O prólogo

Entrada da cidade de Silent Hill e sua névoa característica.

Silent Hill é uma típica cidade do interior montanhoso dos Estados Unidos: em certas épocas do ano, a cidade fica envolvida por neblinas e chuvas. Uma cidade pequena onde a maioria dos habitantes se conhece. Apesar de no jogo ser dito que Silent Hill está ao norte dos Estados Unidos, não existe uma posição exata para a localização da cidade.

Há muitos anos, na cidade existia um culto primitivo nativo com um deus que eles veneravam, chamado Deus do Paraíso, mas devido à interferência dos colonizadores na época, eles pararam de adorar esse deus, trocando-o por Samael, um demônio. Essa mudança fez com que os fiéis passassem a adorar um demônio, acreditando que ele traria o paraíso à terra. E assim, com o passar dos anos, a cidade cresceu junto com o culto, que se enraizou na mesma.

O culto se chama A Ordem, e sua líder é Dahlia Gillespie, que, junto aos seguidores dessa religião, buscava trazer Samael de volta à vida através de um ritual para que ele lhes desse o paraíso.

O ritual para realizar o renascimento do demônio necessitava de uma mulher que pudesse gerar o embrião de Samael em seu corpo, mas para isso a mulher tinha que sofrer bastante para que o embrião se alimentasse da dor, do ódio e do sofrimento da hospedeira.

Dahlia e Alessa Gillespie.

Dahlia ofereceu a própria filha, Alessa Gillespie, como hospedeira para o embrião de Samael. Só que Alessa não foi forçada a isso, ela mesma escolheu ser hospedeira devido ao seu fanatismo religioso.

Alessa Gillespie era uma jovem problemática que teve uma infância muito sombria, violenta, infeliz, traumática e abusiva. Ela também possui uma espécie de poderes parapsiônicos, ou seja, com sua mente pode produzir fenômenos paranormais.

Alessa foi levada para uma casa qualquer na cidade por Dahlia e seus seguidores e lá foi queimada viva, para já alimentar o embrião de Samael com seu sofrimento. Apesar de ter tido seu corpo totalmente queimado, Alessa ainda estava viva. Ela foi levada ao hospital da cidade, não para se tratar ou se curar, mas para sofrer ainda mais e continuar a alimentar Samael com seu sofrimento. Lá ela ficou aos cuidados de Michael Kaufmann, que era um aliado de Dahlia.

Dr. Michael Kaufmann é o diretor do Hospital de Silent Hill e também o responsável pelo tráfico de drogas na cidade. Sua relação com Dahlia vem do fato de ela ter usado magia negra para ajudar Kaufmann, assassinando os investigadores que estavam buscando o responsável pelo tráfico na cidade. Kaufmann usava suas drogas para viciar a enfermeira Lisa Garland, que estava responsável por “cuidar” de Alessa no hospital, assim ele podia mantê-la sob seu controle.

Lisa Garland é uma jovem que acabou se viciando em drogas por conta de Kaufmann, pois o mesmo tinha medo que ela pudesse acabar revelando seus segredos e de Dahlia às autoridades. Devido ao uso constante de drogas, Lisa tinha depressão e problemas psicológicos que, com o constante contato com Alessa e a presença do demônio Samael, ficavam ainda maiores.

Michael Kaufmann e Lisa Garland.

A cada dia que se passava, Alessa sofria mais e mais com as frequentes torturas física e psicológica. Após tantos dias de sofrimentos, ela resolve desistir daquele ritual e evitar a volta de Samael. Alessa, então, usa seus poderes para dividir a sua alma e de Samael em duas partes, assim surgindo uma bebê.

Essa bebê apareceu misteriosamente em uma estrada, e um homem chamado Harry Mason e sua esposa (que estava bem doente na época) encontram-na, adotam-na e dão-lhe o nome de Cheryl.

Harry e sua esposa encontrando Cheryl.

Sete anos haviam se passado, Cheryl cresceu e Dahlia, que havia descoberto sobre o que Alessa havia feito, buscava pela “outra metade”, enquanto mantinha Alessa no hospital.

A esposa de Harry havia falecido, devido à doença que possuía. Então, ele resolve sair em viagem com Cheryl, sendo o seu destino a cidade de Silent Hill. E assim se inicia o jogo.

A história

Harry e Cheryl seguem em seu carro em direção a Silent Hill, e Alessa, percebendo a aproximação de Cheryl, tenta evitar que os dois cheguem a cidade. Usando seus poderes, Alessa cria uma projeção sua na estrada que faz Harry perder o controle do carro que o fez bater e acabar desmaiando.

Após a batida, Harry acorda em seu carro, mas não encontra Cheryl ali, então sai em sua procura. No caminho, ele encontra a menina em meio à névoa; ele grita seu nome, mas Cheryl não responde, é como se ela estivesse sendo controlada por algo ou alguém. Ele a segue até um beco e lá é atacado por criaturas estranhas e grotescas, que o fazem desmaiar.

Harry acorda e percebe que não está mais no beco, ele está em um café. Nele, Harry encontra Cybil Bennett, uma policial da cidade de Brahms, vizinha a Silent Hill. Ela foi enviada para investigar a falta de comunicação entre as delegacias da cidade.

Ela, assim como Harry, bateu após ver a projeção de Alessa na estrada e seguiu para a cidade. Ela conta que seguiu Harry até o beco e o salvou de ser morto pelas criaturas, levando-o para o café.

Cybil diz que não consegue achar uma explicação lógica para aquilo tudo, mas que sente que está acontecendo algo errado. Nenhum dispositivo de comunicação funciona e ela encontrou somente Harry na cidade. Ela rapidamente faz amizade com Harry, que conta do desaparecimento de sua filha, então ela decide ajudá-lo a encontrar Cheryl. Ela entrega uma arma a Harry para que ele possa se defender e vai embora buscar uma maneira de se comunicar com sua delegacia.

Harry, agora armado e podendo se defender das criaturas, segue para o beco onde foi atacado. No beco, ele encontra uma das folhas do caderno de Cheryl no chão com a mensagem “vá para a escola” e pra lá ele segue.

Chegando à escola, ele encontra algumas das criaturas que o atacaram no beco, mostrando que está indo pro lugar certo. Harry prossegue explorando e resolvendo alguns puzzles e entra na torre do relógio da escola. Saindo da torre, o mundo começa a mudar de forma estranha, e Harry agora se encontra no pátio da escola em um Mundo Alternativo com um símbolo estranho no chão a sua frente, o Selo de Metatron, que foi posto lá por Alessa usando seus poderes.

O Selo de Metatron é um símbolo mágico capaz de inibir a influência de Samael no local.

Mundo Alternativo: Muito do que acontece em Silent Hill é resultado da mente perturbada de Alessa, seus poderes e a influência de Samael sobre ela, como o Mundo Alternativo (ou Otherworld). Este mundo é uma espécie de mundo distorcido e bizarro, onde tudo é enferrujado, sujo de sangue e totalmente destruído. Esse mundo surge ao soar de uma sirene, que é a representação da sirene das ambulâncias do hospital, que acordavam Alessa nos únicos momentos que ela não estava sofrendo. Os corpos enrolados em arame farpado ou amarrados são devido a ela estar constantemente amarrada e sofrendo. As cadeiras de roda espalhadas pela cidade estão lá porque era o meio pelo qual ela era transportada. Cada criatura também tem um sentido de ser como é: a criatura voadora que aparece no café se chama Air Screamer e é a personificação dos pterodátilos que existiam no livro O Mundo Perdido que Alessa lia na infância. Os cachorros Gruners representam o medo de Alessa por cães em sua infância. Os Mumblers, pequenas criaturas que se assemelham com os bichos-papões dos livros infantis. As enfermeiras são o reflexo das enfermeiras que iam e vinham em seu quarto para torturá-la.

Continuando a explorar a escola, Harry chega ao porão, onde encontra uma espécie de lagarto gigante e bizarro, representação de um monstro de um conto que usavam para assustar a menina. Ele derrota o monstro e o mundo alternativo se desfaz, e de repente aparece uma projeção de Alessa com 14 anos. No chão, ele encontra uma chave, a chave da casa de Gordon, um professor da infância de Alessa, que talvez seja única pessoa que realmente se preocupava com a saúde mental da menina.

Logo depois de sair da escola e estar de volta ao mundo real, Harry segue andando pela cidade até chegar à igreja. Ele encontra Dahlia lá dentro, e os dois começam a conversar sobre o deus da cidade e o paraíso. Ela entrega a Harry o Flauros, uma espécie de artefato mágico que, segundo Dahlia, é capaz de quebrar as barreiras das trevas, e diz para ele ir até o hospital antes que seja tarde demais. Alessa está no hospital para colocar mais um selo.

O Flauros.

Dahlia pretende usar o Harry como seu peão para deter Alessa e, através dos poderes do Flauros, impedi-la de colocar mais Selos de Metatron e deter o nascimento de Samael. Obviamente ela não conta isso a Harry, ela o faz pensar que Alessa é a responsável por todo o mal e o sumiço de sua filha.

Agora, chegando ao hospital, Harry encontra Kaufmann; os dois conversam sobre o hospital e sobre a cidade, e Harry sai para explorar o hospital. Andando pelas salas, ele encontra um frasco de vidro quebrado no chão com um líquido estranho espalhado. O líquido se chama Aglaophotis, que é capaz de exorcizar demônios e espíritos. Harry coloca um pouco do líquido em uma garrafa plástica e sai.

Frasco de Alaophotis quebrado no chão.

Resolvendo alguns puzzles, Harry novamente volta ao Mundo Alternativo e acaba em um porão do hospital, onde Alessa era mantida viva. No entanto por estar no Mundo Alternativo, ele não encontra Alessa na sala. Ele sai da sala e continua a explorar o hospital agora em sua versão do Mundo Alternativo, e encontra Lisa. Os dois conversam e Harry pergunta sobre o porão, mas Lisa diz desconhecer qualquer coisa sobre ele. No momento que parecia que Lisa iria dizer alguma coisa, Harry começa a sentir uma espécie de dor de cabeça, desmaia e o mundo volta ao normal.

Harry acorda ainda no hospital e, olhando ao redor, percebe que Lisa havia desaparecido, mas Dahlia estava lá. Ela diz para Harry seguir para a outra igreja da cidade e diz que o Selo de Metatron, na verdade, é a Marca de Samael. Então, Harry atravessa a cidade até a outra igreja.

Atravessando a cidade ele chega à igreja, onde A Ordem realizava seus rituais dentro de uma sala escondida. La ele encontra Cybil, que conta sobre sua descoberta sobre o tráfico de drogas na cidade, e também conversam sobre o Mundo Alternativo. Ela também conta a Harry que viu Cheryl próximo ao lago da cidade, mas as estradas de acesso ao lago estão totalmente bloqueadas e destruídas. Então, Harry entra por um buraco pela parede, voltando ao Mundo Alternativo.

Ele vai misteriosamente parar no hospital com Lisa, que lhe conta sobre o culto da cidade e sobre Dahlia. Harry novamente sente dor de cabeça e desmaia, assim acordando agora na igreja. Ele sai em busca de Lisa pela cidade para saber mais sobre aquilo tudo.

Harry passa pelo shopping da cidade; no telão, começa a passar um vídeo com os Selos de Metatron e, logo em seguida, a imagem de Cheryl gritando por ajuda. Harry se desespera com a cena e corre para o hospital e lá encontra novamente Lisa e a pergunta como chegar ao lago da cidade. Ela diz que deve ser possível acessar através dos esgotos próximos à escola. Então, Harry segue para lá.

Uma das tentativas de Dahlia de enganar Harry para deter Alessa.

Ao sair dos esgotos, ele entra em um bar próximo onde salva Kaufmann de ser morto por criaturas, que deixa cair a chave de seu apartamento. Kaufmann diz estar assustado com tudo que está acontecendo ali, o mundo alternativo, os monstros e tudo mais.

É possível acessar o apartamento de Kaufmann através dessa chave que ele deixa cair, lá podemos encontrar um frasco de Aglaophotis. O que encontramos quebrado no chão do hospital, havia sido quebrado por Dahlia que acreditava ser o último, mas Kaufmann havia guardado mais um em sua casa, caso Dahlia o traísse.

Harry segue em direção ao porto do lago, mas algo estranho começa a acontecer: a transformação do mundo real para o Mundo Alternativo começa a acontecer de forma gradativa, diante de seus olhos. O que antes acontecia durante seus desmaios ou de maneira inesperada desta vez ele pode ver acontecer, o que significa que as coisas estão ficando piores.

No porto, ele se encontra com Cybil e Dahlia. Ela conta que o demônio está tomando conta da cidade aos poucos e que aquilo é o resultado. Diz que o parque de diversões e o farol da cidade são os últimos lugares onde Alessa irá colocar a Marca de Samael. Cybil diz que irá para o parque de diversões, e Harry fica encarregado do farol, e assim os dois seguem para os locais.

Harry chega ao farol e logo de cara encontra Alessa e o Selo de Metatron no chão já feito, então ele percebe que chegou tarde demais para impedi-la. Dali, ele segue para o parque de diversões encontrar-se com Cybil, mas ao chegar ao carrossel ele encontra a policial agindo de uma forma estranha, como se estivesse possuída por um demônio ou espírito. Então se inicia uma luta entre os dois.

Aqui temos a opção de realizar dois finais: matando Cybil temos o final ruim, e a salvando faremos o final bom, o final verdadeiro do jogo. Para fazer o final verdadeiro devemos jogar o líquido Aglaophotis na policial.

A batalha de Cybil contra Harry no carrossel.

Cybil parte para cima de Harry atirando contra ele, então conseguindo desviar usando o carrossel ao seu favor, ele arremessa o Aglaophotis em Cybil, fazendo uma criatura se desgrudar de seu corpo e, assim, salvando a policial. Os dois então conversam um pouco sobre a adoção de Cheryl, quando Alessa aparece.

Alessa começa a colocar no parque o último Selo de Metatron, mas Harry usa o Flauros e a manda soltar Cheryl. Ele quebra os poderes de Alessa, e Dahlia aparece se gabando por seus planos terem dado certo. Então um brilho atinge Harry o levando para um lugar estranho, chamado Nowhere.

Nowhere é um lugar composto por diversas salas e corredores conectados, de vários locais no jogo. Talvez seja a representação dos lugares onde Alessa esteve. Foi uma última tentativa de Alessa levar Harry à verdade.

Harry acorda nesse local estranho e encontra com Lisa, que diz que sente que já esteve naquele porão do hospital, mas não se lembrava pois por algum motivo tinha um bloqueio em suas memórias dali (ela não consegue se lembrar devido ao frequente uso das drogas de Kaufmann e à influência de Samael).

Ele então explora o lugar seguindo um fantasma de Alessa, que parecia o estar guiando pelo local. Assim, ele encontra Lisa novamente, que diz ter entendido o porquê de estar viva, que agora era um deles. Ela começa a sangrar e segue em direção a Harry, que foge a trancando na sala.

Lisa totalmente banhada em seu sangue.

Nota de Interpretação: Acredita-se que Lisa Garland já está morta devido a uma overdose, e o que vemos é a manifestação ou ilusão criada por Alessa, e isso explicaria ela estar aparecendo frequente mente em lugares diferentes para Harry. Alessa teria interpretado os cuidados de Lisa com ela como uma espécie de afeição real, algo que queria desesperadamente de sua mãe. Por isso Lisa se mantém com a forma humana e suas individualidades. Isso é apenas uma interpretação ligando os fatos do jogo, já que nunca foi confirmado ou desmentido pelos criadores do jogo.

Ainda em Nowhere podemos assistir um vídeo de Lisa comentando sobre o estado de Alessa, dizendo que seus olhos não abrem, que seu pulso está baixo e mal respira, que não sabe como essa criança ainda está viva. Mais à frente, Harry vê uma espécie de representação, um flashback de quando perceberam que Alessa havia se dividido, inviabilizando os planos d’A Ordem de trazer Samael à vida.

Em outra sala, mas especificamente onde seria quarto de Alessa na infância, Harry vê um flashback de Dahlia puxando Cheryl para próximo de Alessa. Neste momento é que Dahlia percebe que não precisava de ninguém com um dom específico para realizar o ritual, que ela mesma poderia ter gerado a semente de Samael, pois precisava apenas do dom que existe em todas as mulheres: o de gerar uma vida.

Harry desce umas escadas e chega em uma grande sala escura; no centro se encontra Dahlia, o corpo verdadeiro de Alessa em sua cama e sua projeção desacordada no chão. Dahlia comenta estar impressionada com Alessa ter usado o Selo de Metatron para tentar impedir Samael, e agradece a Harry por tê-la impedido a tempo.

Cybil aparece na sala, mas logo é atingida por um raio que a arremessa para longe. Dahlia diz que Alessa e Cheryl haviam se tornado um novamente, que agora o ritual poderia prosseguir. O corpo e a projeção de Alessa se unem em um só corpo, formando uma mulher brilhante, a Mãe de Deus.

Lisa como a “Mãe de Deus”

Kaufmann aparece na sala, e arremessa sob a Mãe de Deus um frasco de Aglaophotis, fazendo que Samael saia do corpo de Alessa e mostre sua verdadeira forma. Samael queima Dahlia viva com seus raios e, devido ao Aglaophotis, o demônio não está em seus plenos poderes, o que ajuda Harry a enfrentá-lo e o derrotar.

A verdadeira forma de Samael.

O demônio então é destruído e, com si, começa a levar todo aquele mundo distorcido conhecido como Mundo Alternativo, fazendo com que tudo entre em colapso. Alessa, em seus últimos momentos de vida, entrega outro bebê a Harry e diz que, infelizmente, ela carrega ainda a semente de Samael. Ele pega a criança e parte junto a Cybil por um portal que Alessa havia aberto para os dois fugirem do local. Kaufmann tenta escapar junto, mas Lisa surge no lugar e o impede de sair dali, se vingando de tudo que ele havia feito a ela.

Alessa entregando a Harry um outro bebê, que será parte de uma nová história de Silent Hill.

E assim se encerra o primeiro jogo da saga Silent Hill.


Espero que tenham gostado, pois esta matéria foi uma adaptação de um dos meus programas, o Boom Headshot. E caso queira saber mais sobre o jogo e suas continuações, acompanhe meu programa todos os sábados às 16h (horário de Brasília), pois em breve vou falar sobre sua sequência e também uma matéria.

Até a próxima, pessoal!

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo