Chaotic World

O simples e eficiente Bunny Girl

:: 3 minutos de leitura

Desta vez venho indicar um ótimo anime da temporada de outono de 2018 que vem sendo bastante elogiado. Confira!

Fala, pessoal, estou aqui mais uma vez na coluna Chaotic World para indicar um anime que tenho certeza de que boa parte de vocês já deve estar acompanhando: seu nome é Seishun Buta Yarō wa Bunny Girl Senpai no Yume o Minai. Ela é uma das séries que mais tem agradado nesta temporada de outono de 2018. Sua temática é simples, porém ao mesmo tempo eficiente, pois consegue retratar muito bem o cotidiano normal das pessoas, apesar de também possuir aspectos ficcionais em sua história.

Vamos falar um pouco sobre o enredo da obra. Nós acompanhamos Sakuta Azusagawa, estudante do segundo ano do Ensino Médio de uma escola próxima a Enoshima, e a história relata sua experiência conhecendo várias garotas que estão experimentando a chamada “síndrome da puberdade” ou “síndrome da adolescência”, com destaque para uma menina que ele conhece na biblioteca ao vê-la vestida de coelhinha, que se chama Mai Sakurajima.

Mai é uma atriz que está com a carreira em pausa além de ser sua senpai no colégio. Por alguma razão, apenas Sakuta consegue vê-la. Sakuta, que já passou por ocasiões relacionadas a essa síndrome, buscará respostas para ajudar Mai, e eles acabam se aproximando em um relacionamento atípico e finalmente começam a desenvolver sentimentos um pelo outro.

Agora falaremos um pouco dos aspectos técnicos. O anime é dirigido por Yasuhito Kikuchi, que já atuou em obras como Hitsugi no Chaika, Sakura Quest e Brotherhood: Final Fantasy XV. A trilha sonora é animada e simples: transmitindo exatamente a pegada do anime, a abertura é Kimi no Sei interpretada pela banda The Peggies, e o encerramento – com uma sonora calma e tranquila que exibe a heroína que o anime está focado em seus respectivos arcos – chamado Fukashigi no Karte, por Mai Sakurajima (Asami Seto), Tomoe Koga (Nao Touyama), Rio Futaba (Atsumi Tanezaki), Nodoka Toyohama (Maaya Uchida), Kaede Azusawara (Yurika Kubo) e Shōko Makinohara (Inori Minase), sendo que a personagem em que o arco é focado canta o encerramento (ou seja, sua dubladora).

O anime me agradou de forma extraordinária, justamente por suas conversas triviais e ao mesmo tempo muito bem elaboradas, com diversas frases do Sakuta que não sairão da minha mente tão fácil assim. Ele à primeira vista parece um personagem antissocial (como já vimos outra vezes em Oregairu e Yōjitsu), porém ele se revela alguém bem agradável e sincero que com certeza divertirá a sua quarta-feira (a data em que o anime é lançado).

Agora, para quem está preocupado de que o anime seja apenas mais um harém, venho te dizer que ao que tudo indica ele não é. O protagonista deixa bem claro na série a heroína que ele gosta, não fazendo a menor cerimônia para isso e, ao menos por enquanto, aqueles que não se agradam do gênero não terão problemas na história.

Então é isso, pessoal, espero que vocês acompanhem o anime, pois tenho certeza que vocês vão gostar. Despeço-me por aqui, e não se esqueça de deixar seu comentário sobre a matéria e opiniões para matérias futuras. Até mais. E deixo a abertura de Bunny Girl para vocês darem uma olhada.

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo