Pular o menu
 

!magine

Fanfic: O Destino dos Obstinados — Capítulo 2

:: 6 minutos de leitura

Xù Fèng acaba se encontrando com o Deus do Casamento e decide perguntar quem é a sua futura esposa. Não satisfeito com a resposta, ele decide ir contra seu destino, não parando para pensar em suas consequências e quem poderia ser afetado por causa das suas escolhas.

MellAutor(a)

Ooi, gente! Aqui é a Mell, com mais um capítulo de O Destino dos Obstinados para vocês!

Espero que gostem, boa leitura :3


Xù Fèng não podia negar que aquela jovem ficava ainda mais bela quando era vista de perto. Porém, ele ignorou tal conclusão. Estava noivo de outra mulher e ele podia ter muitos defeitos, mas infiel certamente não era um deles.

— Feliz aniversário, Vossa Alteza! — a jovem proferiu aquelas palavras em um tom um pouco mais alto do que o usual, denunciando assim o seu nervosismo. O segundo Príncipe nem precisava pensar muito para entender que ela não costumava ir a festas e tinha dificuldades para se socializar. E mesmo assim ela tinha ido até ali para comemorar seu aniversário, uma atitude adorável, de fato — Este presente foi elaborado por alguns amigos meus, espero que goste!

Ela estendeu uma caixa com um comprimento considerável, embora tivesse pouca altura. Ele já conseguia imaginar o que havia ali, então a pegou tentando conter a curiosidade.

— Oh, minha querida Jǐn Mì está sendo humilde — a Grande Fada Floral proferiu com um sorriso orgulhoso — Embora nós tenhamos providenciado os materiais, quem fez este presente foi ela mesma.

Como ele imaginou, ela era antissocial, sua falta de confiança sequer a permitia admitir que o presente havia sido confeccionado por ninguém mais além de ela.

Xù Fèng agora estava em dúvida se ela era adorável ou apenas era patética. Talvez fosse as duas opções.

Então um detalhe que no primeiro momento passou despercebido chamou a atenção do segundo Príncipe.

O nome dela é Jǐn Mì?

— Creio que já ouvi falar de você antes, minha cara jovem. Por acaso você é a pequena fadinha dos boatos, que foi criada pessoalmente pela Grande Fada Floral? — Tàiwēi questionou, já que nem Luòlín nem Rùn Yù pareciam estar em condições de raciocinar, e Xù Fèng parecia estar perdido em seus devaneios.

— Sim, sou eu — ela fez uma longa reverência — É um prazer conhecê-lo, Vossa Majestade. Eu me chamo Jǐn Mì. A Grande Fada Floral é como uma mãe para mim, pois quando eu estava indefesa e sozinha, ela me acolheu e me criou.

Os olhos da Grande Fada Floral brilharam, emocionados com o reconhecimento que recebeu de alguém que era tão estimado e importante para ela.

— Entendi… — o olhar de Tàiwēi se voltou para a mulher mais velha — Vejo que fez um trabalho excelente ao educá-la — incapaz de falar qualquer coisa, a Grande Fada Floral apenas sorriu, lisonjeada e agradecida por ter sido reconhecida até mesmo pelo Imperador do Reino Celestial. Mas agora chamou a sua atenção.

Tàiwēi geralmente não demonstrava muito interesse por estrangeiros. Porém, ele parecia estar deslumbrado com a presença de Jǐn Mì. Aliás, não apenas ele: Luòlín e o primeiro Príncipe também pareciam sentir o mesmo.

Quando a Grande Fada Floral voltou os olhos para Xù Fèng, ela foi surpreendida mais uma vez.

Um ódio obscuro e intimidante parecia brilhar em seu olhar.

— Agradeço o presente — então, sem qualquer hesitação, o segundo Príncipe jogou aquele presente, até que ele colidisse com a parede mais próxima e o som de algo se partindo em pedaços fosse ouvido por todos ali no salão, fazendo com que um silêncio incômodo reinasse no local. Apesar de tudo, a caixa não se abriu, então não era possível ver o que havia dentro dela, e Xù Fèng também não pareceu estar minimamente interessado no conteúdo dela — Porém, por ter vindo de você, eu me recuso a aceitá-lo — ele olhou para o próprio pai, cerrando os punhos para conter sua ira — Me sinto indisposto, estarei em meus aposentos caso precisem de mim.

E sem esperar qualquer repreensão que pudesse vir por parte de Tàiwēi ou de Rùn Yù, Xù Fèng deixou o salão de festas, levando o clima pesado junto com ele.

— Eu… — algumas lágrimas começaram a escorrer pelo rosto de Jǐn Mì, que parecia estar apavorada, tanto seus lábios quanto seus braços tremiam. Rùn Yù foi o primeiro a conseguir deixar a perplexidade causada pelas atitudes de seu irmão mais novo de lado e se aproximou da jovem, colocando com delicadeza uma das mãos em seu rosto, pois a ela parecia estar desnorteada, com os olhos fixos onde o presente rejeitado caiu. Com tal gesto, ela finalmente olhou para o primeiro Príncipe com uma expressão assustada, já que não percebeu ele se aproximando — Não sei quais as razões que levaram meu irmão a cometer tais ações grosseiras, mas tenho certeza que a culpa não é sua, por favor, não sinta qualquer tipo de remorso por algo que você não fez — a sabedoria, a empatia e a gentileza de Rùn Yù não era novidade para nenhum dos presentes ali, então Jǐn Mì abriu um sorriso aliviado.

Com certeza o que Xù Fèng fez e disse ainda assombraria a mente daquela jovem por dias, talvez semanas, mas não havia muito o que Rùn Yù pudesse fazer além de tentar consolá-la e depois ir até seu irmão para adverti-lo.

— Sinto muito por isso — Tàiwēi disse, claramente transtornado e constrangido com o que ocorreu — Meu filho não sairá impune, não vou tolerar essa falta de respeito em minha própria casa, em meu reino — seu olhar se dirigiu à Grande Fada Floral — Peço que o Reino Floral não encare isso como uma afronta. Dentro de alguns dias, farei Xù Fèng ir até lá para se desculpar pessoalmente.

— Certamente não seria justo culpar um reino inteiro por causa da atitude errônea de apenas uma pessoa, por mais influente que ela possa ser. Mas, Majestade se me permite dizer, me preocupa que alguém tão impulsivo e imprudente possa ascender ao trono — ela segurou a mão de Jǐn Mì e acariciou, tentando acalmar a mesma, que já tinha se afastado de Rùn Yù e ido para perto dela — Creio que Jǐn Mì não está mais em condições de ficar para comemorar. Peço perdão por me retirar tão cedo da festa, mas priorizo o bem estar dela a cima de qualquer outra coisa.

Ambas fizeram uma breve reverência e partiram sem olhar para trás.

Em seu quarto, Xù Fèng levou as duas mãos até seu próprio rosto. Seu coração se encontrava inquieto, e sua respiração estava descompassada.

Ele havia se esforçado tanto para não conhecer Jǐn Mì. A simples possibilidade de vê-la o assombrava, já que ele não sabia como os fios vermelhos de Yuè Lǎo o fariam agir. E hoje, ele soube que os efeitos de tais fios eram mais poderosos do que ele temia. Não é à toa que, nos poucos minutos que teve Jǐn Mì em sua frente, tudo ao seu redor ficou cinza, como se apenas a existência dela importasse.

Mas era por Suì Hé que ele estava apaixonado, então ele não estava nem um pouco arrependido de ter sido rude com ela na frente de todos. Mesmo que isso a fizesse odiá-lo, Xù Fèng ainda estaria bem com isso.

Na verdade, ele até preferia que fosse assim. Que Jǐn Mì não suportasse ficar perto dele e nunca mais aparecesse em sua frente, assim ele poderia ter a vida tranquila e feliz que sempre desejou com Suì Hé ao seu lado.

😒

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo