Pular o menu
 

!magine

Fanfic: Conquistar — Capítulo 4

:: 5 minutos de leitura

Geordo queria que aquele amor que sentia fosse recíproco e não estava disposto a dar o braço a torcer, mesmo sabendo o quão difícil isso seria.

MellAutor(a)

Ooi, gente! Aqui é a Mell, com mais um capítulo de Conquistar.

Espero que gostem, e boa leitura :3


No outro dia, Katarina levantou mais cedo que o normal e foi direto para a sala de estar, onde uma pessoa muito importante pra ela a aguardava para que fizessem seus desjejuns juntas.

Sophia estava sentada em um dos sofás, parecendo estar concentrada no livro que tinha entre suas mãos. Porém, assim que ouviu os passos de Katarina, ela fechou o livro e o colocou com cuidado na pequena mesa de centro à frente dela, onde o café da manhã das duas já estava servido.

— Katarina! — abriu os braços com uma visível empolgação e abraçou a maior assim que ela parou em sua frente — Bom dia!

— Bom dia! — ela respondeu, com uma animação semelhante e logo em seguida se sentou no sofá, dando leves batidas no assento vago ao seu lado, um convite silencioso para que a amiga se sentasse ali. E assim o fez Sophia, que aguardou com alguma inquietação as próximas palavras de Katarina — Imagino que deva estar preocupada comigo, já que na carta que lhe enviei escrevi apenas que precisava de ajuda com relação ao meu noivo. Te agradeço muito por ter aceitado vir até aqui! — como a mulher de longos cabelos castanhos não suportava ficar de estômago vazio por nem sequer um segundo, ela comeu um dos biscoitos antes de prosseguir — Ultimamente o Geordo anda um pouco… estranho.

Sophia tomou um gole de seu café quente antes de se pronunciar após ouvi-la atentamente:

— Defina “estranho” — pediu com uma calma que não correspondia com a grande curiosidade que dominava seu interior.

— Alguns dias atrás nos encontramos na horta e… ele resolveu me ajudar a cuidar das plantas… Depois, na hora de partir, ele me convidou para um jantar em um restaurante bem caro e romântico. Desde então ele tem me tratado diferente, mais calmo, cuidadoso… e na noite do jantar ele se declarou para mim e me pediu em casamento de novo, dizendo que, se eu ainda quisesse romper meu noivado, essa era a minha oportunidade.

Sophia não conseguiu esconder sua expressão surpresa e até um pouco incrédula. Assim como Katarina, ela sabia o quão cruel Geordo poderia ser quando queria, então aquilo parecia ser coisa de um Geordo de outro universo paralelo.

— Isso foi um pouco repentino, não acha? — ela questionou desconfiada e Katarina apenas assentiu.

Então, como alguém que conhecia muito bem sua amiga, a albina se deu conta de um detalhe muito importante: se Katarina ainda tivesse a intenção de acabar com aquele noivado, o teria feito assim que a oportunidade surgiu. Ao invés disso, mandou uma carta urgente para ela e tinha um semblante preocupado. Sophia suspirou, sentindo que Katarina estava tentando causar mais dores de cabeça.

Ela tinha um talento incomparável para arranjar problemas, e na maioria deles Geordo estava envolvido.

— Certo, e o que você respondeu?

— Eu pedi um tempo para pensar — Sophia bateu na própria testa e Katarina logo tratou de se explicar — Mas é porque fiquei confusa! Eu não estava esperando que ele me dissesse que estava apaixonado por mim e muito menos que me pedisse em casamento com tanto… Com tanto… — ela abaixou a cabeça, tentando encontrar as palavras certas

— Com tanto…? — a albina repetiu um tom interrogativo, para incentivá-la a continuar.

— Sophia, eu olhei nos olhos dele e vi medo — a menor ficou boquiaberta e Katarina ergueu a cabeça para encará-la — Ele parecia estar com medo de ser rejeitado e eu… não sei definir o que senti, mas meu peito ficou tão apertado, não consegui dar uma resposta.

— Você entende que, se ficou tão desorientada assim, é porque não quer mais dar um fim em seu noivado, não é? — ela murmurou algo positivo como resposta — Certo, ah… — Sophia suspirou novamente. Katarina era inacreditável e era um bom exemplo para provar que a frase “meu maior inimigo sou eu mesmo” era real — Eu já sei que você não tem jeito, então tudo o que me resta é tentar descobrir se ele está mesmo sério em relação a você ou se esse é só mais um de seus joguinhos.

— Então… O que eu faço?

— Faça da vida dele um inferno. Obrigue-o a passar vários dias trabalhando duro com você na horta, convide-o para sair nos horários e dias mais improváveis possíveis. Se ele estiver mesmo apaixonado por você, cada momento ao seu lado será mais importante que qualquer outra coisa. Só tome cuidado para não ser rude, nosso objetivo não é humilhar o Príncipe nem nada parecido.

Katarina assentiu, e ambas desfrutaram de um café da manhã um pouco mais agitado que o habitual.

Assim que Sophia se despediu e voltou para casa, Katarina caminhou até seu quarto e foi atrás da melhor e mais fiel companhia que tinha quando precisava pensar muito no que faria: sua cama.

Ela veria Geordo dentro de alguns dias mas não sabia como executar aquele plano. A mulher de longos cabelos castanhos jamais fez questão de que Geordo ficasse perto dela, não seria estranho fazê-lo agora? Aliás, sua preocupação maior deveria ser o que faria e não o que ele iria pensar disso, certo?

Katarina bufou.

A possibilidade de sentir algo pelo maldito noivo estava se tornando cada vez mais provável, e isso a assustava mais do que ela gostaria de admitir.

😒
Voltar ao topo