Pular o menu
 

Tsuki no Usagi

Astromitos, parte 3: a Tartaruga Negra e o Pássaro Vermelho

:: 3 minutos de leitura

Os dois últimos deuses celetes: a Tartaruga-Serpente e o Pássaro Vermelho.

TuziAutor(a)

Tuzi, da Lua, diz: Olá, jovens gafanhotos! Hoje trago a continuação da mitologia por trás da astrologia chinesa! Nesta semana conheceremos as duas últimas bestas celestiais.

Primeiramente, na semana passada encontramos Qīnglóng e Bái Hǔ, o Dragão Azul do Leste e o Tigre Branco do Oeste, respectivamente. Desta vez, vamos descobrir um pouco mais sobre Xuánwǔ e Zhūquè.

A Tartaruga Negra

Xuánwǔ é conhecido no ocidente por Tartaruga Negra; entretanto, sua tradução literal pode ser lida como Guerreiro Negro, sendo essa a denominação mais usada no interior de alguns países do leste asiático.

Há referências dela em animações, mangás e novels asiáticas. Sua representação visual é a combinação de uma imensa tartaruga escura com uma serpente negra no lugar da cauda.

Xuánwǔ também pode ser conhecida pelos seguintes nomes: Genbu em japonês, Huyền Vũ em vietnamita e Hyeonmu ou Hyunmoo em coreano.

Seu nome de reconhecimento é Běifāng Xuánwǔ, a Tartaruga Negra do Norte.

Imagem: Mathew Meyer

Dessa forma, a ela os chineses devotam o cardeal Norte, a estação do inverno, a cor preta, e o elemento água.

Xuánwǔ é a divindade protetora, símbolo de sabedoria e longevidade. Portanto, podemos ver a combinação da tartaruga e da serpente algo que traz boa sorte.

Não só encontramos facilmente suas referências em Jornada ao Oeste, como também uma referência à sabedoria e vida longa de Buda e também na China antiga, onde guerreiros e nobres foram nomeados em homenagem à besta celeste.

Ao mesmo tempo, no Japão, por influência da China, adotou-se o costume de manter um pingente de jade. Sendo assim, este normalmente tem formato de tartaruga com cauda de serpente, onde se acredita ser um amuleto de proteção.

Sendo um dos deuses governantes do céu, a ela vem a responsabilidade de liderar os seguintes signos do zodíaco chinês: o javali, o rato e o boi.

O Pássaro Vermelho

Zhūquè é um pássaro vermelho, descrito como faisão de penas coloridas banhadas em fogo. Conhecido por Suzaku em japonês, Chu Tước em vietnamita e Jujak em coreano.

Seu nome de reconhecimento é Nán Fāng Zhū Què, ou o Pássaro Vermelhão do Sul. A ele os chineses associaram o cardeal Sul, a estação do verão, a cor vermelha e o elemento fogo.

Apesar de muitas vezes ser confundido com uma fênix, ambos têm denominações diferentes.

A fênix chinesa é um pássaro grou, Fènghuáng, que reina sobre os pássaros, e a ela se atribui o símbolo da imperatriz chinesa. Já Zhūquè é uma das bestas celestes ou deus elemental do fogo e símbolo da lealdade, ética e honra.

Enfim, por também ser um dos deuses governadores dos céus, a ele cai a responsabilidade de governar três dos signos do zodíaco chinês: a serpente, o cavalo e o carneiro.


Tuzi, da Lua, diz: Então é isso, jovens gafanhotos! Até a semana que vem com mais descobertas sobre a mitologia asiática! Por enquanto, não deixem de passar pelas matérias da J-Hero e ficar ligados na programação da Rádio J-Hero! Esta que é sempre do seu jeito, do seu gosto!

😒

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo