Pular o menu
 

Ai-Suki

Review: Aoi Sensei wa Shishunki e o clichê da relação professor-aluna

:: 2 minutos de leitura

Hoje a postagem é sobre mangá shōjo. Embarquem nessa review. Contém leves spoilers.

ShiemyAutor(a)

Sinopse

Aoi Sensei wa Shishunki conta a história de Hibari Hanaoka, uma estudante de secundária (o equivalente ao nosso Ensino Médio) que se apaixona por seu professor de biologia chamado Aoi.

Ele aceita sair com ela, contanto que sigam algumas regras: não farão contato por celular, não podem entrar na sala de biologia a menos que seja no intervalo ou depois das aulas, não terão encontros e, principalmente, qualquer contato físico está proibido até a graduação.

Análise

Aoi Sensei é um mangá curtinho que eu achei aleatoriamente enquanto vagava pela internet. São apenas oito capítulos, com dois especiais. A história é tão doce que havia uma multidão de formigas ao meu redor quando eu terminei de ler, parecia Vida de Inseto. Eu realmente adorei como conseguiram conduzir um romance puro mesmo com a diferença de idade.

Entre professores e alunas

Romances entre professor e aluna são uma temática recorrente no mundo dos mangás, mas esse tem algumas particularidades que fazem dele muito interessante.

O casal já começa a história em um relacionamento, então não é preciso toda aquela tensão de descoberta de sentimentos, o que permite todo o enredo focar em como eles conduzem as coisas. Também não há mal-entendidos ou dúvidas envolvendo uma terceira pessoa. Eles estão juntos e firmes quanto aos seus sentimentos, então não há qualquer espaço para outra pessoa se meter entre eles.

Aoi oscila entre a figura de um cara sério e adulto, de um sonhador viciado em animais e de um adolescente perto dela (daí o nome da obra ser traduzido livremente como “Professor Aoi é um adolescente”) com direito a expressões envergonhadas e muitos rostos vermelhos.


O que eu mais gostei foi que, assim que eles começam o relacionamento, ele visita os parentes dela e pede permissão para terem o compromisso, o que evidencia como ele leva a sério o que eles tem, e ainda evita o drama desnecessário com os familiares.
Há uma crescente tensão física, já que o contato está proibido (“proibido é bem melhor, perigoso e divertido“, parei), mas eu gosto como o importante para definir eles estarem juntos não são os abraços ou beijos, mas a certeza dos sentimentos que os unem.

O traço é maravilhosamente lindo, então o mangá é uma bela obra de arte. Realmente vale a pena conferir. Mas não esqueça de levar a insulina, porque seu nível de açúcar vai definitivamente subir com essa doçura.

Voltar ao topo