Pular o menu
 

Tsuki no Usagi

O conto do deus do mar e das tempestades: Susanoo-no-mikoto

:: 4 minutos de leitura

O conto do deus banido que retornou para casa.

TuziAutor(a)

Olá, jovens gafanhotos! Como estão? Espero que bem! Esta coelha esteve inspirada por alguns dias após o último Pandora no Hako; por conta disso, resolvi trazer para vocês uma das mais famosas versões da batalha de Susanoo-no-mikoto contra Yamata no Orochi.

O Augusto Varão Furioso

Susanoo-no-mikoto foi o terceiro filho de Izanagi, e este o atribuiu a regência das águas e mares que envolvem as ilhas, assim como o domínio sobre as tempestades.

Entretanto, de todos os três, foi o único que não concordou com a divisão feita pelo pai, já que Amaterasu, sua irmã mais velha, foi agraciada com o Sol e o universo, e Tskuyomi, o filho do meio, com a Lua e a noite.

Conhecido por ser inconstante, Susanoo costumava causar problemas no Takama-ga-hara — a planície dos deuses. Desde quebrar itens preciosos e sagrados de outros deuses a criar tempestades e tsunamis na terra dos mortais, uma vez que estivesse entediado, o caos o acompanharia.

Um dia, provocou um abalo sísmico imenso no mundo mortal, causando assim muita destruição e a morte de várias pessoas. Izanagi, não encontrando outra solução, decidiu banir o filho para o Yomi.

Aceitando sua punição, Susanoo decidiu despedir-se de sua irmã mais velha, Amaterasu, indo visitá-la em sua planície. Todavia, devido à rapidez com a qual se moveu, causou imensos trovões pelo caminho. Tal perturbação deixou a deusa do Sol em estado de alerta com medo de que o irmão estivesse tendo um acesso de fúria.

Entretanto, quando chegou até sua irmã, Susanoo estava calmo e, vendo que seu irmão estava bem, ela o aceitou em seu reino. Infelizmente, Susanoo rapidamente tornou-se entediado e, por conta disso, resolveu se distrair. Suas brincadeiras o levaram a cometer um erro, resultando na destruição da plantação de arroz pertencente a sua irmã.

Vendo a decepção nos olhos de sua irmã, Susanoo irritou-se consigo mesmo e, perdendo a noção de sua fúria, ele acabou sendo a causa da morte de uma das tecelãs de Amaterasu.

Suas ações acabaram por irritar completamente a irmã, que trancou-se em uma caverna. Vendo que não seria capaz de convencê-la a sair, ele decidiu descer para o mundo mortal procurando uma chance de se redimir.

Viajando por pequenos povoados, ele encontrou um casal de idosos chorando. Disposto a ouvi-los, o deus descobriu que eles haviam acabado de enviar sua filha como uma oferenda para Yamata no Orochi, uma imensa serpente de oito cabeças.

O deus descobriu pelo o relato dos idosos de que Yamata no Orochi exigia constantemente que jovens puras fossem enviadas para ele como sacrifício. Curioso sobre isso, ele continuou investigando, descobrindo em seguida que o monstro fazia tais exigências em troca de não atacar o reino.

Entre as últimas donzelas restantes estava Kushinada, a princesa do reino. Susanoo apaixonou-se completamente pela jovem quando a conheceu e perguntou-lhe se, caso ele destruísse o monstro, ela se casaria com ele.

A jovem princesa garantiu sua mão ao deus dos mares caso ele conseguisse essa vitória. Sendo assim, ao ter a promessa da jovem, o deus do oceano partiu em busca de Yamata no Orochi.

Susanoo sabia que um monstro assim não seria vencido facilmente e, por conta disso, disfarçou-se de viajante. Quando encontrou Yamata no Orochi, ele ofereceu um barril de vinho para cada uma das oito cabeças.

Tendo sucesso em embebedar o grande monstro, Susanoo revelou sua identidade e ambos batalharam. O mar se tornou revolto, o céu escureceu e a terra estremeceu. O som da batalha foi ouvido a muitos quilômetros de distância.

Todavia, apesar da grande força de Yamata no Orochi, foi Susanoo quem saiu vitorioso.

Dentre a carcaça do monstro, o deus encontrou Kusanagi Tsurugi, uma espada mágica. Imaginando ser um item de grande valor, Susanoo voltou para Takama-ga-hara e encontrou Amaterasu fora da caverna. Ele deu a espada para a deusa do Sol como um pedido de desculpas, e sua irmã mais velha, vendo-se encantada com a beleza e poder do objeto, aceitou.

Izanagi ouviu sobre o ato heroico que seu filho mais novo fez no mundo mortal e revogou seu banimento, permitindo assim que o deus do oceano voltasse a viver em Takama-ga-hara. Susanoo aceitou e trouxe a princesa Kushinada, agora sua esposa, para viver consigo entre os outros deuses.

Outra versão

Em um final alternativo, diz-se que, quando Yamata No Orochi morreu, de seu ventre caiu o sagrado orbe da vida: Magatama. E da última cabeça cortada rolou uma lágrima que se tornou um espelho. Estes dois itens ele deixou com a irmã de Kushinada antes de partir com ela para o reino dos deuses.

Por conta disso, Kusanagi Tsurugi, Magatama e o Espelho são hoje conhecidos como “Os Três Tesouros Sagrados do Japão”, pois o reino de Kushinada chamava-se Izumo, um dos muitos nomes dados ao Japão antigo.


E por hoje é só, jovens gafanhotos! Espero que tenham gostado! Vejo vocês na semana que vem!

😒
Voltar ao topo