Pular o menu
 

Tsuki no Usagi

Qílín e Xièzhì: A Benevolência e A Justiça (parte 2)

:: 3 minutos de leitura

O símbolo da justiça no leste asiático.

TuziAutor(a)

Tuzi, da lua, diz: Olá, jovens gafanhotos! Esta semana trago a segunda parte sobre Qílín e Xièzhì! Desta vez, vamos conhecer o símbolo da justiça no leste asiático.

Xièzhì

Portador da coragem, ordem e acima de tudo, justiça, Xièzhì é conhecido por trazer em seu pescoço um sino que anuncia sua presença. É considerado o ser mais justo dentre todas as bestas míticas, sendo capaz de julgar a verdade de um ato apenas olhando nos olhos do ser humano.

Do mesmo modo que Qílín, Xièzhì tem várias descrições, sendo desde as mais antigas como nas dinastias Hàn (206 a.C. – 220 d.C) e Táng (618–906), nas quais era representado como a mistura de cachorro e dragão, tendo um único chifre e patas de cabra.

Na dinastia Míng, é descrito como uma cabra-dragão com dois chifres. Isso durou até a dinastia Qīng, em que temos a descrição que perdura até hoje: um cachorro de fogo com juba de leão e patas de cabra, podendo conter um ou dois chifres.

Por sua similaridade com as cabras desde o inicio, também é conhecido na China por shén yáng.

Sinônimo chinês de justiça

Os chineses retratam-no com a capacidade de discriminar entre certo e errado; de destruir os ímpios, mordendo-os e julgando-os diante de todos. Sobretudo, também é o símbolo da lei. Por conta disso, muitos instrumentos de justiça no país como a polícia e o judiciário contêm a imagem de Xièzhì. Até mesmo na política há distintivos e emblemas com a mesma imagem.

Sendo assim, como faz parte da crença popular chinesa, pode se encontrar suas estátuas por palácios antigos e escrituras que relatam as leis de dinastias antigas. Uniformes de antigos de representantes da lei e uniformes atuais do governo chinês e da polícia também trazem insígnias com a imagem de Xièzhì.

Insignia da lei na Coreia do Sul

Outro país no qual sua imagem também está entrelaçada com a lei, a justiça e antiga família imperial é a Coreia do Sul. Xièzhì é conhecido como Haetae nesse país e tem a mesma descrição: um cachorro-leão com um sino no pescoço.

Haetae também está associado ao elemento terra, ou seja, os sul-coreanos consideram-no capaz de prever terremotos e outros desastres naturais.

Assim como na China, é possível encontrar na Coreia do Sul estátuas de Haetae em frente a palácios e edifícios do poder judiciário e da polícia. Muitos advogados coreanos têm o costume de relacionar a imagem dessa besta mítica com a imagem de seus escritórios de advocacia.

Pensamento da Coelha

Para muitos ocidentais, esses aspectos da cultura oriental são tidos como mitológicos. Entretanto, para o próprio povo asiático, que em sua maioria não é cristã, essas simbologias estão ligadas às suas crenças e são tão importantes para eles quanto o crucifixo ou a Bíblia o são para o Ocidente.

Tuzi, da lua, diz: E por hoje é só jovens gafanhotos! Lembrem-se de sempre manter o respeito pelo coleguinha. Nos vemos semana que vem, e não se esqueçam de dar uma olhada nas colunas e matérias do site da JHero! Fiquem ligados também na programação da Rádio JHero, essa que é sempre do seu jeito, do seu gosto!

😒

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo