Pular o menu
 

Planeta Z

Conheça o ATEEZ – Parte 2

:: 8 minutos de leitura

Segunda parte do guia sobre o ATEEZ. Vamos falar da sonoridade única desses meninos!

WichitaAutor(a)

Como na parte 1, preciso lembrar vocês que eu não sou nenhuma especialista em música, então não tenho muita propriedade para falar sobre termos técnicos e desde já peço desculpas. 

Olá, terráqueos! Demorei um pouquinho para trazer a parte 2 do guia sobre o ATEEZ, mas cá estamos!

Na primeira parte, falamos sobre os membros. Hoje vamos falar sobre os MVs, as músicas e da sonoridade única do grupo.

Eu não sei como explicar exatamente essa sensação, mas o que me chamou a atenção no ATEEZ foi uma sensação familiar que eu só sinto nos meus grupos favoritos: T-ARA e INFINITE; e Block B e G-Friend, que eu não acompanho como os dois primeiros, mas também me passa essa sensação. Não é como se o estilo do ATEEZ fosse semelhante a qualquer um dos grupos acima, mas o que todos esses grupos têm em comum é que, quando você ouve uma música deles, você pensa “Oh, isso só poderia ser ATEEZ” ou “Isso é tão INFINITE” como se Be Mine e Paradise só funcionassem porque é INFINITE. É assim que eu me sinto quando penso que em alguns instrumentais das suas principais faixas “soa como ATEEZ”.

O que me cativou neste grupo é que eles sempre têm algum ponto chamando atenção nas músicas, performances e MVs. Seja a coreografia, o instrumental, o vocal, as highnotes, as linhas de rap, as batidas empolgantes, trechos que ficam na cabeça, um membro que não está no centro se destacando na coreografia lá no fundo. Muitas das vezes é a junção disso tudo, e é isso que torna esses meninos e suas performances tão incríveis: visual, músicas, coreografias, filmografia e a peça principal: a execução.

E quando eu falo sobre execução, amiguinhos, eu falo sobre esse vídeo abaixo. Ele resume em palavras tudo o que eu queria dizer sobre as coreografias dos singles. A sincronia e a teatralidade que os meninos executam os movimentos realmente me deixam sem palavras.

MVs e discografia

Antez do début, ATEEZ lançou o MV de From que encerrou o reality KQ Fellaz.

ATEEZ tem até agora um full album e quatro EPs. Desde o primeiro miniálbum eles abordam o tema de “piratas” e que estão à procura de algum tesouro (Treasure), e até todos os MVs possuem uma conexão. As várias teorias dos fãs sobre a storyline dos MVs citam até mesmo realidades paralelas, duplicatas, mundos fictícios e até o Peter Pan.

Treasure EP.1 : All to Zero (2018)

Temos o início da jornada com All to Zero, que teve duas faixas single: Pirate King e Treasure.

Pirate King foi gravado no Saara junto com Treasure. Apesar das transições entre a rapline e o vocal, esse MV é totalmente da rapline Mingi e Hongjoong.

Eu gosto muito de como as duas faixas se contrastam. Treasure é uma das minhas faixas favoritas, e o modo que o refrão explode dramaticamente é algo tão emocionante, é o tipo de música que eu adoro deixar em looping no volume máximo. Os componentes dentro da música se encaixam de um modo tão empolgante, e também temos a estética e a fotografia do MV.

E a b-side que eu quero destacar é a emocional My Way, que fala sobre crescer e traçar seu caminho do seu jeito.

Treasure EP.2 : Zero to One (2019)

Zero to One chegou com um visual agressivo e de grande impacto com Say My Name e Hala Hala, que vieram com point dances icônicos e linhas expressivas em que os meninos mostraram suas capacidades incríveis na dança.

Say My Name é uma música que você precisa ouvir com atenção. Confesso que na primeira vez que eu ouvi, eu pensei que fosse mais uma faixa genérica de hip hop. Mas se você prestar atenção nos detalhes, vai ver como essa música é rica. E hoje é uma das minhas favoritas!

Eu amo o modo que Say My Name foi montada. A música tem um dos meus instrumentais favoritos, juntamente de Answer. O violão que toca no início, a ponte — mais uma vez carregada de vocais emocionantes que casaram perfeitamente com a coreografia teatral — e a mudança de ritmo do refrão final e o modo que a canção é finalizada são meus detalhes favoritos.

Esse instrumental precisa ser apreciado!
Assim como essa coreografia!

ATEEZ expectativa, e aqui a realidade:

JONGHO??????

E então temos Hala Hala. Uma música mais obscura com um “Performance ver.” trazendo os meninos todos de preto, com máscara, chapéu e correntes como adornos.

Temos como pontos em destaque a batida que entra junto com o rap do Hongjoong na primeira parte, a linha extremamente poderosa do Jongho, o refrão e a coreografia superpoderosa, e eu queria muito destacar a segunda parte cantada pelo Yeosang e o timbre grave dele que merece mais linhas e mais reconhecimento!

Realidade

E ainda tivemos o MV surpresa de Promise, gravado na Europa! Uma música superanimada e fofinha, os meninos com um visual impecável e uma coreografia que nunca decepciona num clima animado!

Treasure EP. 3: One to All (2019)

E é neste ponto que ATEEZ prova que pode funcionar bem em diferentes cores. O álbum, que nos traz a animadíssima Wave e a colorida Illusion, nos mostrou um outro lado do ATEEZ e como eles conseguem se encaixar bem nos diferentes conceitos. Além das músicas, as coreografias também são animadas e os meninos ficaram tão bem performando elas!

O conceito “verão” é sempre 8 ou 80 pra mim, e é meio difícil de me agradar nesse quesito. Por exemplo: não é que eu não goste de Boy with Love ou Just Right, essas duas músicas me dão nos nervos.

Mas Wave foi tão bem executada que, mesmo com um hook sem sentido como “Hakuna Matata Ya”, me dá vontade de “ir na onda” da música.

É como se a canção tivesse uma aura, me passa um sentimento caloroso quando eu a ouço. Me lembra dos meus melhores dias com meus melhores amigos na praia, traz um sentimento de nostalgia e conforto.

Eu realmente adoro essa parte!

Como Wave rendeu o 1st win para os meninos, o MV de Aurora veio em agradecimento.

Vocês querem talento? Toma. Querem coreografia? Toma. É visual que vocês querem? Então segura essa porrada na cara que é esse MV.

E, por fim, temos a eletrônica e dançante Utopia, que ganhou MV na versão japonesa. Eu falo sério quando digo que eles funcionam muito bem em diferentes atmosferas! Utopia é contagiante e tem aquela emoção no refrão.

Treasure EP. Fin: All to Action (2019)

Ainda em 2019 veio o full album, e ele chegou atropelando com Wonderland. É o MV do grupo com maior número de visualizações até o momento, com 55 milhões de visualizações.

É por muitos considerados a masterpiece do ATEEZ até agora por todos os elementos que a composição da canção e o MV carregam. A produção, o figurino, a referência a Peter Pan, os elementos do instrumental que eu nunca me canso de elogiar e a presença de uma banda marcial! A música e o videoclipe são extremamente poderosos em todos os sentidos possíveis.

Eu não teria palavras o suficiente para expressar como tudo nessa produção é incrível! O instrumental avassalador e seus elementos, as passagens de tempo, a coreografia memorável, os visuais, a banda e os dançarinos. Mas, de novo, o que torna tudo incrível é a execução.

Esse instrumental precisa ser apreciado e valorizado!

Diferente dos outros álbuns, neste só Wonderland teve MV/Performance Ver. O álbum com toda a certeza vale a pena ser ouvido por inteiro, mas eu vou deixar a performance de Sunrise, que tem uma letra motivacional muito inspiradora e cuja performance ao vivo é muito linda! Uma das coisas que eu mais admiro no ATEEZ é a teatralidade em suas coreografias, é como se a emoção da música se casasse com os movimentos e você consegue sentir tudo o que está sendo transmitido pela junção da melodia e da coreografia.

“Não importa o que algumas pessoas digam. Não importa o que algumas pessoas odeiem. Não importa as coisas que o deixem doente.
Apenas continue, para que todos possam ver. Apenas continue, para que o mundo inteiro possa ouvir.
Vamos continuar, embora não tenhamos vontade disso às vezes, apenas continue.”

Treasure Epilogue: Action to Answer (2020)

E, por fim, minha música favorita do grupo, Answer. Sei que eu já falei de instrumental durante todo o texto (alguém me agride com um violão, por favor), mas eu sou perdidamente apaixonada pelos elementos de Answer. Acho a música extremamente emocional, a sonoridade dela casa tão bem com a profundidade que você consegue sentir nos vocais.

Eu estava procurando por Treasure quando me deparei com Answer, e foi essa música que me fez prestar atenção no grupo. Foi a mesma coisa que eu senti quando ouvi Be Mine, a mesma coisa que eu senti quando ouvi Cry Cry e Rough. Answer tem uma assinatura própria, uma singularidade que eu só consigo ver funcionando no ATEEZ. Talvez porque o grupo seja tão rico em detalhes quanto a música, como eu sempre falo: cada peça que compõe o grupo é muito bem trabalhada e isso resulta num produto final perfeito.


E depois que você conhece melhor o grupo, a rotina dos meninos e como eles são extremamente esforçados e determinados, você passa a entender e esperar que eles sejam bem-sucedidos em tudo o que se proponham a fazer.

E deixo vocês com essas duas performances incríveis:

😒

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo