Pular o menu

Na Lupa do Lunei

O que rolou de melhor e pior no K-Pop do mês de Março 2016

:: 8 minutos de leitura

Confiram os comentários a respeito dos lançamentos das bandas Fiestar, Red Velvet, GOT7, Cosmic Girls, solos da Amber, da Hyoseong, Hyomin, do Produce 101 e mais...

LuneiAutor(a)

Olá, queridos leitores. Como estão? Espero que bem.

Março foi um mês que, infelizmente, demorou pra passar. E se fevereiro rendeu aquele post maravilhoso apenas com o que saiu de melhor no K-Pop, visto as músicas realmente terem sido num nível de bacana para ótimas, o mesmo não ocorreu dessa vez. Muita coisa horrível saiu, deixando aquela impressão de que toda a cena coreana está decaindo e se repetindo demais em sonoridades.

O bom é que algumas faixas conseguiram trazer um pouquinho de luz ao mês. Vamos começar com elas…

O que rolou de melhor?

Red Velvet – Cool Hot Sweet Love

O The Velvet foi um dos troços mais chatos que já ouvi da Coréia do Sul na minha vida. Isso provavelmente foi pela falta de direcionamento correto dos produtores da SM para o Red Velvet. A grande graça de ter o tal “lado velvet” era esperar que elas viessem com uma pegada mais adulta e sensual que o feito no “lado red”.

A única delícia salva no EP foi Cool Hot Sweet Love, um Urban/Pop bem mais inspirado que serviria melhor como lead single que album track. Fica aquela desgostosa sensação de essa maravilha não ter recebido um MV…

GOT7 – Fly

Não tem nada de inovador em Fly. Quer dizer, é a mescla maravilhosa de R&B com eletrônico que vários atos vem trazendo do final do ano passado pra cá. O bom disso é que eu adoro essa mistura e a boa interpretação vocal, acompanhada do MV legal, tornaram o pacote todo bem palatável…

Jun Hyo Seong – Find Me

Que farofa gostosa. A Hyoseong, do SECRET, tem feito uma carreira solo bem mais interessante que seu girl group. Find Me é uma prova disso, com boas influências de Tropical House e EDM, uma letra bacana e um videoclipe muito bem produzido.

O mini-álbum também está maravilhoso, devo resenhar ele em breve…

Oh My Girl – Liar Liar

O novo lead single do OMG não está essa bosta completa que outros sites e blogs tem pregado por ai, pelo menos, em minha opinião. É uma faixa divertida, com um instrumental eletrônico adocicado, um pré-refrão quase transcendental e um refrão extremamente grudento. Os gritos agudos infantilizados me lembram idols japas.

É claro que eu gostei bem mais de Closer e Cupid, mas é um crime dizer que isso está ruim…

Cosmic Girls – Catch Me

Atirem pedras se quiserem, mas esse troço está maravilhoso. Sei lá o que deu na cabeça da Starship Entertainment ao lançar um grupo com 12 garotas, sendo a primeira faixa um Pop Kawaii sugando o Dance dos anos 80 só para depois elas lançarem um Hip Hop com sintetizadores de videogame rebolando a bunda num videoclipe ridículo. Uma tentativa de copiar o Red Velvet?

Só sei que ambos as pegadas funcionaram comigo. Pena eu ter sido o único a notar o quanto isso fica legal, já que é tão maluco que faz a volta e funciona exatamente por ser tosco…

Fiestar – Mirror

O comeback do Fiestar também foi maravilhoso. Uma faixa midtempo bastante sombria e sensual, evidenciando os trejeitos adultos que o grupo parece querer seguir. E o EP também está ótimo, fica aqui mais uma promessa de review para abril…

Hyomin – Sketch

A Hyomin, do T-ara, é linda. Sketch está super sensual, seguindo também a linha do PBR&B que eu tanto gosto. O MV está bem produzido e mais adulto do que o normal para a Coréia – e isso é ótimo, acreditem…

O que foi legal, mas poderia ter sido melhor?

Lee Hi – Breathe e Hold My Hand

A Lee Hi é uma das minhas solistas coreanas favoritas. Amo faixas dela como 1.2.3.4, Rose e It’s Over. Eu preferia que a YG tivesse dado pra ela faixas nesse estilo, com um instrumental mais carregado e mais inspiradas do R&B/Soul dos anos 70 pra ela.

Porém, ela ganhou mesmo uma baladinha simples que poderia ter sido gravada por qualquer pessoa e um Pop influenciado pelo Elvis com um MV maravilhoso. Confesso só ter gostado disso por adorar a voz dessa garota e permaneço torcendo para que venham coisas melhores pra ela quando o resto do álbum sair…

Amber – Borders

Que bom que a Amber conseguiu lançar uma faixa de autoria própria, em inglês, falando sobre se encontrar e do quanto as pessoas se sentem mal por a sociedade tentar coloca-las em caixas, tentando decidir como devem ou não se vestir, comportar, quem devem namorar e etc.

Particularmente, acho que o instrumental poderia ser melhor e mais trabalhado, para tirá-la do lugar comum de baladas Pop. Porém, não é como se isso a tornasse ruim…

Girls Girls – Girls Girls

Nunca tinha ouvido falar dessas aqui, mas li que elas tão relançando o single de debut delas, agora com um MV. Tá divertido, somando Hip Hop com Pop, a dança tá bacana. Vamos torcer para que não deem disband e voltem com algo realmente marcante na próxima…

O que rolou de pior?

DAY6 – Letting Go

O DAY6 continua sua saga de se tornar um dos atos coreanos mais chatos de todos os tempos. Se essas faixas Pop/Rock melosas já não funcionavam na década passada com Jonas Brothers, McFly e outras boy bands do tipo, imagina em 2016…

Block B – A Few Years Later

O instrumental R&B até está gostosinho, os versos de rap também, mas as partes cantadas como se tivessem com dor de barriga estragam tudo. Que pena…

O tal projeto da SM Entertainment de lançar uma música “inusitada” por semana tem sido um tédio completo. Tirando a faixa da Amber aqui em cima, tá tudo mal tocado, mal cantado, sem inspiração e etc., rendendo vergonhas alheias como essas duas que virão a seguir…

Eric Nam e Wendy (Red Velvet) – Spring Love

Baladinha água com açúcar tocada no violão? Virou sarau de faculdade? Pior que nem o MV “vamos pegar a câmera e passear por ai” conseguiu ser bom…

Yoona (SNSD) e 10cm – Deoksugung Stonewall Walkway

Se na faixa anterior pelo menos temos a Wendy cantando bem, aqui nem isso dá pra salvar. A Yoona é a pior vocalista do Girls’ Generation e ainda colocam ela com um rapper que fala como se estivesse com o nariz entupido. O instrumental é o mesmo feijão com arroz de sempre, parecendo com trilha sonora de margarina…

Porra, SM, e vocês ainda ficam emprestando seus idols para outras xaropadas iguais…

Jimin (AOA) e Xiumin (EXO) – Call You Bae

Quem acompanha o AOA sabe que a Jimin é aquele estereotipo da garota desajeitada desbocada, que vai entrar na sala gritando e fazendo coisas engraçadas. Duvidam? Assistam a primeira temporada do reality show Unpretty Rapstar e tirem a prova.

E isso que é legal nela, já que as faixas do AOA tem uma pegada mais apelativa e sensual, que se tornam instantaneamente memoráveis com os bordões dela vindos do nada com voz de pato CASEM LOGO COMIGO, AOA, VOCÊS SÃO O MELHOR PIOR GRUPO DE TODOS OS TEMPOS.

Ai vão e estragam tudo dando um dueto horrível pra ela, com a Jimin tentando ser graciosa junto com o rapaz do EXO cantando como se estivesse chorando? Foi de propósito? Vocês queriam me magoar?  

Red Velvet – One Of These Nights

Nem a interpretação vocal lindas das meninas, nem o videoclipe sensacional e nem todas as teorias da conspiração lançadas na internet salvaram essa canção de ser um dos troços mais chatos e sonolentos de 2016.

Me aprofundei mais sobre isso na resenha que fiz aqui pro site, mas é uma pena que parte dos fãs do Red Velvet fiquem usando como defesa para essa faixa cafona o fato de “não ser uma farofa”, de “ser adulta demais para adolescentes entenderem” ou de “exigir um pouco mais de sensibilidade das pessoas para ser apreciada”. Quanta besteira…

O que rolou lá no PRODUCE 101?

E ai que o reality PRODUCE 101, que, fazendo um curtíssimo resumo, foi produzido nesse início de ano no canal coreano MNET, trazendo 101 trainees de inúmeras agências para competirem entre si, formando uma subunidade comandada pelo canal que irá lançar alguns singles ao longo do ano.

A maravilha chegou ao fim semana passada e, em uma de suas fazes finais, dividiu as gatas em grupos fantasiosos, pegando vários conceitos utilizados para girl bands e criando a partir disso. O resultado? Cinco canções maravilhosas e amis viciantes que quase tudo o que foi citado nesse post…

Girls on Top (Assembleia de Deus) – At The Same Place

É aquele tipo de faixa synthpop mais adocicada que é a cara de grupos como Apink, GFriend, Lovelyz e etc., que renderia um daqueles MVs engraçadíssimos onde as gatinhas se vestem de roupas claras e fazem caras de desorientadas enquanto ficam dando piruetas pra lá e pra cá.  Achei grudenta e ótima nesse papel… 

Pinkrush (Fifth Harmony) – FingerTips

Aqui, é aquele tipo de som teen pop gostosinho, americanizado e radiofônico, que ganharia um MV colorido com elas dançando em cenários vibrantes enquanto se apaixonam por um cara qualquer…

Hualyeogangsan (Iggy Azalea) – Don’t Matter

É a menos divertida da leva, mas ainda assim ótima. Tem aquilo de misturar Hip Hop com Pop, que fica ainda melhor por conta do instrumental que lembra o que era feito no início dos anos 2000. Aah, o break com saxofone é impagável… 

Macaroon Honey Dduk (The Red) – Yum-Yum

Essa pérola parece alguma faixa não utilizada pelo Red Velvet no primeiro álbum delas, o maravilhoso The Red. É divertida, confusa, brinca com sintetizadores e bateria de fanfarra. É a segunda melhor solta no programa…

Make Some Noise (as farofeiras) – 24 Hours

Facilmente, uma das melhores faixas que escutei em 2016, brigando no gel com Insnomia, do Stellar, Deepened, do Brave Girls e Galaxy, do Ladies’ Code.

É um EDM contagiante, com referências ao trott italiano, ao EuroDance, a tudo o que de melhor sai no Eurovision, lembrando Orange Caramel, Perfume, T-ara e todos os atos asiáticos que acertam na música eletrônica.

Além disso, essa coreografia do pulinho com a rebolada é viciante. Já me peguei fazendo essa merda sem querer no meio da rua. Ou seja, o vício é iminente… 

😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo