Pular o menu

Na Lupa do Lunei

O que rolou de melhor e pior no K-Pop do mês de Janeiro #2016

:: 10 minutos de leitura

Um novo ano e uma coluna velha. Confiram os lançamentos mais relevantes da cena musical Pop sul coreana, com Stellar, Dalshabet, iKON, WINNER, GFriend e muito mais...

LuneiAutor(a)

O que rolou de melhor e pior no K-Pop do mês de Janeiro #2016

Olá, pessoas que tiveram suas vidas mudadas quando uma gato preto cruzou seus caminhos e, na verdade, o bichano era uma criatura sobrenatural que te colocaria em uma guerra entre seres mágicos e humanos da qual vocês nem mesmo tinham ideia de que existia. Como estão?

Bom, mais um mês se passou e como tradição é tradição, aqui vão os destaques positivos e negativos de dentro do cenário "musiqueiro" Pop sul coreano.

Para quem ainda não estiver familiarizado com o formato, eu costumo uma vez ao mês separar um espaço aqui nesta coluna para listar os lançamentos que julgo mais relevantes no K-Pop durante o mês anterior. É um formato totalmente opinativo, onde faço um pequeno release para cada uma das faixas/MVs que considero interessantes e memoráveis por serem ótimos, ou por serem bem abaixo da média.

Concordando, discordando, não deixem de dar a opinião de vocês, além de sugestões do que poderia ter aparecido.

Como no final do ano passado estive muito ocupado com as elusivas listas de melhores e piores álbuns, singles e etc., não tive a oportunidade de comentar o que rolou durante o mês de dezembro. Então, confiram abaixo alguns desses ícones imperdíveis e, após isso, o que saiu durante janeiro.

Delícias ignoradas de fim de ano:

Hyolyn, Bumkey e Jooyoung – Love Line

E aí que a "Sabrina Sato" coreana resolveu se juntar com o Jooyoung novamente (eles já haviam lançado um dueto há uns anos) e ainda chamar o Bumkey e em um feat. deliciosamente elegante e excelentemente bem produzido.

A faixa é um R&B dançante sobre triângulos amorosos muito bem cantada pelo trio, além do MV ser bastante interessante e, literalmente, girar em clima retrô. Por algum motivo idiota eu acabei não incluindo-a no meu top 30 de K-Pops no final do ano passado e me arrependo disso até agora…

 

ChoA – Flame

Uma das minhas namoradas do AOA, que quase fez a Coréia do Norte atacar o país vizinho com bombas de hidrogênio, participou de um projeto com os produtores Kim Do Hoon e PJ intitulado como project re;turn apenas com versões de clássicos do cancioneiro Pop sul coreano revisitados.

A faixa escolhida para ela foi Flame, originalmente gravada pela Jang Hye-jin, em 2006. O ótimo é que o clima teatralmente dramático da versão original foi mantido e, com a ajuda do videoclipe, toda a experiência ficou ainda melhor…

 

SEVENTEEN – Q&A (feat. Ailee)

Incrivelmente, mesmo apostando numa proposta já manjada dentro do K-Pop ao misturar Hip Hop com a voz feminina cantada, os caras do SEVENTEEN fizeram um bom trabalho com a parceria da Ailee.

É um Pop/R&B bem divertido e açucarado onde o maior brilho está na interpretação vocal de todos. Claro que o vídeo é engraçadinho e o final ali onde a música volta é uma surpresa bem positiva…

 

iKON – What’s Wrong?

Por conta do lançamento do álbum de debut deles, os novos substitutos oficiais do BIGBANG na YG Entertainment soltaram dois MVs de divulgação perto do Natal. Dumb&Dumber foi uma bosta completa, sendo um daqueles EDM sem vergonhas que G-Dragon e cia adoram lançar – só pensar em Sober, Bang Bang Bang e, indo mais atrás, Fantastic Baby. Logo, não vale nem a citação.

What’s Wrong? eles foram por um outro rumo dentro da gravadora, decidindo usar a vertente mais “roqueira” do 2NE1, com guitarras e bateria em volume alto – tipo elas fizeram em Ugly. E deu certo. A música é pegajosa, tem uma letra divertida e um refrão bem simpático…

 

O que rolou de melhor em janeiro?

Dalshabet – Someone Like U

O ano começou da melhor maneira possível com a clone da Hyuna e as outras três meninas restantes do Dalshabet se juntando com o produtor Brave Brothers em um synthpop meio roqueiro a lá anos 80, meio Cindy Lauper, meio Paula Abdul, todo vingativo e fantástico.

A faixa foi escrita pela gatinha líder delas, que é idêntica a Hyuna, e minha parte favorita é, justamente, o rap que ela manda depois do primeiro refrão sobre estar putíssima com o cara por ter mentido pra ela e chifrado com suas amigas – isso tudo enquanto ela sensualiza com uma fita de ginástica rítmica…

 

GFriend – Rough

Dessa remeça de girl bands que surgiram entre 2014 e 2015 apostando num estilo mais kawaii, recatado, jovial, infantil,.. chamem como preferirem, tipo Lovelyz, Vividiva e Oh My Girl, as que mais se destacaram comercialmente foram as meninas do GFriend.

Rought, assim como seus dois lead singles anteriores, é basicamente o que o Girls’ Generation lançava em início de carreira e o APink lança todo semestre, só que com um pouco mais de distorção nas guitarras e dramaticidade nos videoclipes. Como eu adoro GG em início de carreira e APink, além de sempre torcer para que apostem mais em instrumentos de verdade no K-Pop e não só em bases eletrônicas, é claro que eu curti isso…

 

WINNER – Sentimental e Baby Baby

Se ignorarmos a existência de I’m Young, podemos afirmar que o WINNER fez um bom comeback. Eles apostaram num estilo sonoro meio retrô, como se o Rock dos anos 50 encontrasse o R&B da Motown e tudo rolou de maneira bastante proveitosa.

Sentimental é a mais agitadinha e tem o MV mais legal deles até hoje, todo filmado pela perspectiva de cima, dando a tudo um ar meio teatral. Já a baladinha Baby Baby, embora tenha ficado bem melhor na voz da Lee Hi, é divertida e soa como Beatles ou, vá lá, Elvis

 

ZICO – I am You, You are Me

Indo prum lado mais voltado pra urban music agora, o Zico, do Block B, lançou algumas faixas nesse início de ano e a minha favorita foi esta aqui. É naquela pegada de singles que a JLo ou a Mariah Carey lançariam no início dos anos 2000 que os coreanos adoram. Sugiro que vocês escutem com o apoio visual do MV, pois está bem agradável nessa historinha dele tentando conquistar a garota na loja…

 

Yezi – Cider

Debutando solo, a Yezi, do Fiestar, decidiu tocar o foda-se para todo mundo e jogar a merda no ventilador. O MV de Cider está repleto de momentos onde ela critica a TV coreana.

Vou abrir um parêntese para explicar isso. Para quem não acompanhou, a Yezi participou da segunda temporada do reality show Unpretty Rapstar, ficando em segundo lugar para uma rapper que fazia rimas “de raiz”, enquanto ela focava sua música em temáticas mais sexuais em batidas mais agitadas. Na época, teve toda uma história de que a Mnet supostamente estaria favorecendo a candidata que venceu, Truedy, por ser mais condizente com o que seria, ou com o que deveria ser, o Hip Hop de verdade.

Enfim, sendo verdadeiro ou não, é claro que a Yezi usou disso e encheu o clipe de alfinetadas, onde ela rasga o script, quebra a barreira entre o que é um programa de TV ou não, joga tinta numa lâmpada em formato de diamante – logotipo do Unpretty Rapstar –, tudo isso enquanto narra o quanto é gostosa, talentosa e que os outros tem inveja dela…

 

Lucky J – No Love

Ainda no meio das "Mocreias do Rap", a Jessi, rainha da discórdia, voltou com o seu grupo, lançando uma daquelas faixas sobre como o amor é uma bosta. O melhor nela é o sample acrescido de instrumentos folclóricos, dando uma cara oriental para a canção, coisa MUITO rara no K-Pop…

 

Giriboy – Hogu

O Giriboy também lançou material novo e o MV de Hogu traz ele sendo um nerdão que gosta de mangás, enquanto a mina dele quer que ele seja mais fodão. A mensagem é uma bela bosta, já que esse estereótipo de “nerd virjão” já está bem mais que ultrapassado, mas o instrumental e o próprio timbre de voz do Giriboy cantando me lembram bastante o Mac Miller, um dos poucos rappers que eu realmente curto. Então, confiram…

 

SUS4 – Pick Me Up

Três gatinhas orientais cantando uma música chamada Pick Me Up com um arranjo que começa minimalista que vai crescendo até explodir num refrão Dance e que não são o Perfume? Sim, isso aconteceu. E ficou bem legal.

Diferente do que as japonesas fizeram em sua faixa no ano passado, aqui, as gatinhas coreanas apostam numa interpretação vocal bem mais contida, o que funciona adoravelmente e não deixa o pacote todo histriônico. Recomendo…

 

The Legend – Crush On You

Eu nunca tinha ouvido falar desses caras, mas descobri que eles lançaram seu segundo EP no final de janeiro e adorei a faixa escolhida para ganhar videoclipe. É um Pop/Funk maravilhoso e recheado de elementos divertidos…

 

CocoSori – Dark Circle

OLHA ESSA MERDA MARAVILHOSA! HAHAHAHAHA

Meus amigos, temos aqui mais um grupo que aposta na tosqueira musical, caindo como uma luva naquela minha lista de Pops-Estranhos-Asiáticos. É meio Orange Caramel, meio Kyary Pamyu Pamyu, meio Crayon Pop, tudo soando como se fosse a abertura de uma anime dos anos 80.

Tudo ainda melhor ao sabermos que os círculos escuros do título são nada mais, nada menos que olheiras e toda a faixa é sobre como brócolis tem propriedades nutritivas o suficiente para fazer com que tais machas desapareçam. Então, no MV, a dupla de gostosas fica amiga de um brócolis marombado e ASSASSINAM ele para comê-lo…

 

Stellar – Sting e Insomnia

De comeback em comeback, as garotas do Stellar vem mostrando o quanto são talentosas e rigorosas quanto a qualidade de seus MVs e canções em si. Em tudo há uma riqueza sonora e várias influências pescáveis. Não foi diferente ao retornarem nesse início de ano com seu segundo mini-álbum. Feito com a ajuda dos fãs em uma campanha crowdfunding, o EP veio com várias faixas de alto nível.

As melhores foram Sting e Insomnia. A primeira, usada como lead single, é um midtempo que mescla synthpop com Soul de maneira genial, enquanto o videoclipe tira sarro com a cara dos internautas que tanto as criticam, tudo com uma metalinguagem absurda – o que já é marca do grupo. Na segunda, tempo um Dance passional e emotivo, com as quatro cantando como nunca antes e sendo, para mim, a melhor música desse mês…

 

O que rolou de duvidoso?

Nuol – Reggae no.1

São uns caras fazendo reggae em coreano. Se não tiverem problemas com apropriação cultural ou vergonha alheia com isso, recomendo…

 

IMFACT – Lollipop

É o tipo de MV ruim cuja piada é tão forte que faz a volta no mal gosto e se torna… Divertido. Resumindo a história, são uns rapazes de cabelo colorido cantando sobre chupar o pirulito um do outro enquanto ficam se esfregando na coreografia.

Okay, não é bem isso, mas essa foi a intenção…

 

O que rolou de pior?

ANDA – Taxi

Eu poderia muito bem colocar isso aqui entre o que rolou de melhor, já que é um rap no mesmo nível do da Yezi, mas o videoclipe está tão horrorosamente tosco que eu apenas não consegui.

Pelo amor de Deus, dá para bolar bons vídeos com baixo orçamento, não precisa ser um monte de colagens de Vines dela feitos com câmera TekPix

 

CNBLUE – Feel Good

Eu não consigo levar o CNBLUE a sério como banda quando eles tocam esses Pops hiper produzidos soando como boy band. A faixa é tipo algo que o Maroon 5 lançaria e geraria vergonha alheia aqui no ocidente, montada milimetricamente para soar palatável a todos num público em geral.

Mesmo sendo apenas um daqueles clipes encomendados para trilha sonora de comercial de celular, não rolou…

 

Suzy e Baekhyun – Dream

Não tenho ideia do que passou na cabeça dos produtores da MYSTIC ao juntarem o Baekhyun, do EXO – de cabelo pintado com papel crepom -, com a Suzy, do miss A, em uma colaboração tão sonolenta.

Não tem como um dueto que se aproxima tanto de jazz ficar bom sem que pelo menos um dos cantores tenha uma extensão vocal com alcance muito grande, afinação muito precisa ou mesmo um timbre de voz muito característico. Ficou parecendo um cover de youtuber, daqueles bem genéricos…

 

P.S.: Comentários sobre Hate, do 4minute, e Rain, da Taeyeon, sairão ainda nessa semana. Uma das faixas está maravilhosa e a outra está insuportável. Qual será qual? Façam suas apostas… :v Abraços!

😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo