Na Lupa do Lunei

Ailee volta com o mini-álbum Magazine, mostrando que é para ficar

:: 2 minutos de leitura

Confiram a resenha do Lunei para o EP Magazine, da cantora de K-Pop Ailee. Nele, a americana demonstra o quanto seu estilo é interessante e chamativo nesse meio...

😒

Ailee volta com o mini-álbum Magazine, mostrando que é para ficar

Sendo um dos atuais maiores destaques da música coreana aqui no Brasil, Ailee vem a cada passo de sua carreira demonstrando o quanto a confiança depositada nela como profissional pela gravadora e pelos fãs valem realmente a pena. Embora sua trajetória musical solo não seja tão diferente da de suas colegas no K-Pop, a americana que roubou a cena no Music Bank, ocorrido aqui no início do ano, é portadora de uma extensão vocal bem grande, o que já a separa da grande maioria nesse meio.

Voltando agora com mais um trabalho de inéditas, o EP Magazine, ela novamente mostrou serviço, com uma seleção de faixas consistentes e coerentes para a sua proposta, fazendo de seu comeback um dos mais interessantes do ano.

Ailee volta com o mini-álbum Magazine, mostrando que é para ficar

Don’t Touch Me abre o mini-álbum com grande energia, sendo essa uma faixa Pop inteligentemente orgânica, onde a soma de baixo, guitarras, piano e do vocal agressivo colocado por ela a tornam vintage e grudenta – e o videoclipe também ajuda bastante a nos transportar para esse clima retro.

O R&B gostosinho de Crazy a mostra numa aura mais malemolente, despojada, com uma interpretação mais contida e um instrumental urban bem válido. É o tipo de faixa que teria tudo para cair na mesmice, mas os detalhes postos fazem toda a diferença, destacando ainda mais a personalidade de Ailee.

Isso também ocorre em Goodbye Now, que poderia facilmente soar como uma balada bem brega, mas que se revela sensível e arriscada conforme vai crescendo e modulando. Há emoção e verdade na letra – ou, pelo menos, ela nos demonstra isso disfarçando muito bem.

Lovesick tem uma pegada de abertura de anime, seja pela guitarra marcante no início ou pelo refrão clímax. É apenas outra faixa boa.

Entretanto, o único defeito está na música que fecha essa lista. A junção de elementos eletrônicos em Teardrop mais a fizeram parecer com um remix que algo oficial. Não soou bem, definitivamente.

Mas isso não estraga o conjunto da obra. Novamente, Ailee mostrou que está no caminho certo e tem de tudo para trilhar uma carreira longa, se destacando internacionalmente dentro do cenário do K-Pop.

E, vá lá, ela é bem gostosinha. Vocês sabem disso…

 

 

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo