Pular o menu
 

!magine

Fanfic: O Destino dos Obstinados — Capítulo 6

:: 4 minutos de leitura

Xù Fèng acaba se encontrando com o Deus do Casamento e decide perguntar quem é a sua futura esposa. Não satisfeito com a resposta, ele decide ir contra seu destino, não parando para pensar em suas consequências e quem poderia ser afetado por causa das suas escolhas.

MellAutor(a)

Ooi, gente! Aqui é a Mell, com mais um capítulo pra vocês. Admito que esta estória está ficando maior do que imaginei, mas espero que estejam gostando.

Enfim, boa leitura!


Depois de Xù Fèng ter aceitado e compreendido seus próprios sentimentos, as coisas ficaram ainda mais complicadas. Antes, ele tinha certeza que Suì Hé era o amor da sua vida e era com ela que ele ficaria; porém, agora havia ficado mais do que claro que seu lugar era ao lado de Jǐn Mì. Então ele teria que dar um fim ao seu noivado de uma forma ou de outra, não importando o quanto isso fosse manchar a reputação da sua prima.

Ele não queria isso. Suì Hé não fez nada para merecer passar por esse tipo de coisa, mas pior do que acabar com o noivado seria traí-la.

E ainda tinha outro problema: o possível parentesco entre Jǐn Mì e Luòlín.

Chegava a ser irônico quando ele parava para pensar nesse assunto. Enquanto Rùn Yù torcia para que ela fosse filha dele, Xù Fèng já esperava que ela fosse exatamente o que era agora: uma órfã. Ele sabia que Luòlín nunca aprovaria seu noivado com ele, e o segundo Príncipe não poderia julgá-lo por isso, ele era consciente de seu péssimo temperamento e de sua imaturidade para lidar com situações complicadas.

Contudo, por Jǐn Mì, ele estava disposto a mudar isso, e tudo o que Xù Fèng precisava era de uma chance para provar a todos que ele ainda podia depositar suas esperanças nele.

Ao contrário do que Xù Fèng desejava, os dias passaram rápido, e o dia da reunião com Luòlín chegou. Jǐn Mì foi convidada para estar presente nela, e tanto ela quanto a própria Divindade da Água ficaram surpresos por se encontrarem ali, embora fossem por razões diferentes.

— Sua Alteza, Vossa Majestade, têm certeza de que eu deveria mesmo estar aqui? Parece que será um assunto importante para tratar, não acredito que esteja apta para participar desta reunião… — ela comentou, se dirigindo a Tàiwēi e Rùn Yù, que olharam um para o outro antes de o Imperador Celestial tomar a liberdade para responder.

— Eu diria que você é a principal razão de estarmos nos reunindo hoje, então apenas sente e ouça com atenção, então não precisa se preocupar com isso — a confusão de Jǐn Mì mudou para apreensão e ela se sentou, ainda mais preocupada com o que aconteceria ali.

Ela tinha cometido um erro tão grave que todos precisaram se juntar para repreendê-la?

Ainda existia a possibilidade de que alguém tivesse espionado ela e Xù Fèng quando ambos foram honestos um com o outro naquele dia, e ela temia pela sua segurança e pela reputação de Xù Fèng.

Luòlín parecia igualmente confuso e receoso. O simples fato de Jǐn Mì ainda lhe lembrar Zǐfēn já mostrava que algo importante seria tratado naquela noite, e a Divindade da Água não sabia se estava preparado para isso.

— Agradeço por terem comparecido a esta reunião aqui hoje — Tàiwēi levantou, resolvendo falar e não deixar aquele momento mais constrangedor e desconfortável do que já estava sendo para todos ali — O meu filho, Rùn Yù, como todos sabem, possui como forma primordial o Dragão Branco e, consequentemente, ele acabou herdando muito poderes e habilidades, dentre elas, seu instinto lhe permite sentir coisas que uma pessoa comum não consegue sentir — ele dirgiu seu olhar para Rùn Yù e estendeu uma mão em sua direção — Rùn Yù, meu querido filho, levante-se e conte-nos o que você tem a dizer sobre Jǐn Mì.

Como foi solicitado, Rùn Yù se levantou, deixando tanto Jǐn Mì quanto Luòlín ansiosos para saberem o que ele diria.

— Como já foi dito, meus instintos de Dragão Branco me tornam mais sensível a certas situações, e uma delas são laços. Dependendo de sua intensidade, eu consigo distinguir laços de sangue, e desde a festa de aniversário do meu irmão, eu tenho sentido que a Divindade da Água e Jǐn Mì estão interligados, e com o propósito de investigar melhor esse pressentimento, convidei Jǐn Mì para ser minha serva e viver comigo em meu palácio — Luòlín estava tão chocado naquela altura que sequer conseguia respirar, e Jǐn Mì também parecia estar surpresa — Com ela por perto, pude estudar melhor essa sensação e, quando tive certeza, conversei com a minha família sobre isso. Chegamos à conclusão de que a Divindade da Água e a própria Jǐn Mì deveriam saber disso antes do que qualquer outra pessoa — ele olhou para Luòlín e depois para Jǐn Mì antes de concluir sua fala — Ao que tudo indica, Jǐn Mì é filha de Luòlín.

— Minha filha!? Como!? — Luòlín murmurou, de cabeça baixa.

— Eu também fiquei surpreso, mas o que mais me deixa confuso é como você poderia ter uma filha, meu caro amigo. E levando em conta que a semelhança entre ela e Zǐfēn é inegável, não preciso pensar muito para descobrir quem seria a mãe.

Luòlín suspirou, revivendo lembranças que eram mais dolorosas do que ele poderia descrever.

😒
Voltar ao topo