Pular o menu
 

Tsuki no Usagi

The HU: metal, folclore e o orgulho de uma herança histórica — Parte 1

:: 5 minutos de leitura

Música e folclore numa mistura única!

TuziAutor(a)

Olá, jovens gafanhotos! Creio que vocês estão perguntando “Tuzi, você vai falar de música no Tsuki?” — e a resposta que dou é “SIM!”.

Não temam, gafanhotos, pois o que trago para vocês esta semana é nada mais do que o orgulho de uma cultura, folclore e mitologia na forma da mais bela arte existente: música!

Então, solte seus cabelos, afine seus olhos e vamos conhecer um pouco sobre a melhor banda mongol folk metal de todos os tempos: The HU!

The HU

Antes de começarmos nossa jornada pelas músicas incríveis dessa banda, vamos conhecer primeiramente, sobre o próprio The HU, quais suas inspirações, origens e o que eles têm para nos mostrar!

The HU é uma banda da Mongólia, país localizado na Ásia Oriental e Central, e faz fronteira com a Rússia ao norte e com a China ao sul, leste e oeste. Embora a Mongólia não partilhe uma fronteira com o Cazaquistão, o seu ponto mais ocidental é a apenas 38 quilômetros da ponta leste do Cazaquistão, dando-lhe assim localização na Ásia Central.

Em algum momento no futuro trarei mais curiosidades sobre o passado mongol, seu folclore e mitologia, principalmente os que remetem ao, talvez, não tão bem conhecido Gengis Khan.

Com o objetivo de cantar e levar para o mundo um olhar diferente sobre a cultura mongol, The HU traz em suas músicas poesias, lendas, cantos de guerra, chamados xamânicos e muita, mas muita influência do folclore e história mongol tanto nos instrumentos quanto na forma cultural de cantar.

Composta por quatro membros – Gala, Enkush, Jaya e Temka -, a banda apresenta instrumento tradicionais da Mongólia. Eles também têm uma banda de apoio que os auxilia com os instrumentos comuns guitarra, baixo e bateria, assim como outros tipos.

  • Gala é o vocalista principal, mas também toca morin khuur;
  • Enkush também toca morin khuur, mas o foco é o seu canto gutural tradicional mongol;
  • Jaya é vocal de apoio e gutural também, e o responsável por tocar a maioria dos instrumentos como tsuur e a harpa de mandíbula;
  • Temka toca o tovshuur, um instrumento membro da família do alaúde.

De acordo com o site da banda, todos os membros têm pelo menos um diploma de bacharel ou superior em música.

Instrumental diferenciado

Tendo como base o heavy metal, a banda mistura este estilo com o canto gutural tradicional da Mongólia, podendo ser também classificado de forma mais fácil como folk metal mongol. Além das letras e suas melodias, a influência de sua cultura e folclore é vista nas vestimentas com as quais eles muitas vezes se apresentam e nos instrumentos tradicionais mongóis que eles usam: morin khuur, tovschuur e tsuur.

Cada um desses instrumentos tem uma relação especial com a cultura mongol. Por serem instrumentos tradicionais, são patrimônio folclórico de seu país.

Tovschuur

Também conhecido como tovshuur ou tobsigur, é um alaúde de duas ou três cordas tocado pelas tribos da Mongólia Ocidental. O tovschuur está intimamente ligado ao folclore do povo da Mongólia Ocidental, pois acompanhava as apresentações de contadores de histórias, canto e dança, e os mongóis também tocavam-no antes de uma batalha.

A construção, materiais e a forma do tovshuur variam dependendo do construtor e da região. Por exemplo, dependendo da tribo, as cordas podem ser feitas de crina de cavalo ou intestino de ovelha. Já o corpo do tovshuur é em forma de tigela e geralmente coberto por uma pele de animal bem esticada.

Morin khuur

Conhecido como violino com cabeça de cavalo, é um tradicional instrumento mongol de duas cordas tocado na vertical com um arco. É um dos instrumentos musicais mais importantes do povo mongol, sendo considerado um símbolo de sua nação. O morin khuur é uma das obras-primas do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade identificadas pela UNESCO.

O instrumento consiste em uma moldura de madeira, à qual duas cordas são presas. As cordas são feitas de fios de náilon ou rabos de cavalo, o instrumento traz uma cabeça de cavalo esculpida em sua ponta.

O conto do cavalo alado

Uma das lendas sobre a origem do morin khuur é sobre um pastor chamado Namjil, que recebeu um cavalo voador de presente; ele o montaria à noite e voaria para encontrar sua amada. Infelizmente, sua companheira era uma mulher ciumenta, que, desconfiada, tentou cortar as asas do cavalo. O animal tentou fugir, mas ao alçar voo caiu do ar e morreu.

O pastor, enlutado, deixou sua amada e fez um violino de cabeça de cavalo com a pele e os pelos da cauda do cavalo, usando-o para tocar canções comoventes sobre seu cavalo.

Outra lenda… credita a invenção do morin khuur a um menino chamado Sükhe. Depois que um senhor malvado matou o valioso cavalo branco do menino, o espírito do cavalo veio a Sükhe em um sonho e o instruiu a fazer um instrumento com o corpo do cavalo, para que os dois ainda pudessem ficar juntos e nenhum deles ficaria sozinho.

Assim, o primeiro morin khuur foi montado, com ossos de cavalo como pescoço, cordas de crina, pele de cavalo cobrindo sua caixa acústica de madeira e sua ponta esculpida na forma de uma cabeça de cavalo.

Tsuur

É uma flauta soprada de comprimento variável, comum entre os pastores da Mongólia. Ela tem apenas três orifícios para o dedo. As melodias tocadas no tsuur são geralmente imitação do som da água, gritos de animais e cantos de pássaros, ouvidos por pastores nas estepes ou nas encostas das montanhas.


E por enquanto é isso, jovens gafanhotos! Vejo vocês em breve na parte dois, na qual vamos conhecer algumas músicas do The HU e seus significados e ligações com o folclore e mitologia mongol!

😒
Voltar ao topo