Pular o menu
 

Planeta Z

Goo Hara: mãe que a abandonou na infância agora briga na justiça por sua herança

:: 3 minutos de leitura

A mãe de Hara, que a abandonou aos nove anos e não esteve presente enquanto Hara enfrentava críticas pesadas e comentários cruéis ao mesmo tempo que lutava contra a depressão, agora quer metade de sua herança.

WichitaAutor(a)

Ano passado perdemos Goo Hara, que se suicidou. Tudo o que Hara queria era ser amada, mas ela foi abandonada pela mãe na infância, teve um pai ausente e recebia diariamente comentários maldosos e cruéis por cada passo que dava.

Hara e seu irmão, Goo Ho-in, foram criados pela avó e suas tias, já que sua mãe os abandonou quando ela tinha apenas nove anos de idade e seu pai, também ausente, fazia bicos por todo o país para poder sobreviver.

Recentemente, Ho-in compartilhou uma postagem no Instagram falando sobre o nascimento de sua filha, dizendo que escolheu o nome que Hara achou bonito para sua filha “Harin”, contando como Hara, que ele sempre chamou carinhosamente de Hari, estava animada pela sua primeira sobrinha e acrescentou: “Minha irmã costumava sair cantando, jurando que faria qualquer coisa pelo primeiro sobrinho ou sobrinha, até enviando-as para a faculdade. Espero que você renasça como minha filha. Orei para criar você com todo o amor que não recebemos de nossos próprios pais e, apenas uma semana depois, isso se tornou realidade. É uma filha. (…)Será que isso teria acontecido se soubéssemos disso uma semana antes …? Sinto muito, e sinto tanto a sua falta.”.

O pai de Hara renunciou sua parte da herança; porém, a mãe contatou advogados dois dias após o funeral e agora está reivindicando 50% da herança pois afirma ser ancestral direta da “filha”. Porém, ela desistiu de seus direitos e custódia de pais de seus filhos no ano de 2006.

Numa entrevista recente, Ho-in contou que Hara lutou a vida toda contra o trauma de ser abandonada e também dividiu uma carta de 2016 em que ela expressava sua tristeza quanto à solidão.

O jeito que eu falo. O jeito que eu penso. Isso se torna realidade. Preciso me proteger primeiro e me conhecer melhor. Sei que sou sensível e me conheço melhor. Sei que tiro energia de mim e tento ser feliz e positiva. Eu sinto falta da minha mãe. Eu realmente sinto falta da minha mãe. Eu engulo esses sentimentos no meu coração e não posso cuspi-los, mas os seguro. Eu machuco mais do que … não. Tudo bem machucar. É válido para me machucar.

De acordo com a lei na Coreia, no caso da morte de um adulto sem filhos, sua mãe ou pai têm direito à sua herança, mesmo que não os tenham criado pessoalmente. Apenas casos extremamente incomuns, como crimes contra a humanidade — por exemplo, assassinato —, desqualificam os pais para a herança.

Hara, além do trauma do abandono, sofria de depressão e era constantemente atacada e criticada na internet e pela mídia com comentários cruéis na internet, mesmo em seus mais simples atos.

As palavras maldosas das pessoas têm um grande peso no gatilho que tirou a sua vida. Atos e palavras também matam.

Eu espero que onde quer que você esteja, esteja rodeada de amor e esteja feliz consigo mesma, Hara.

(E como diz o chuchuzinho da minha vida, Bob Marley, que também sofre de ansiedade e depressão e recentemente desativou o Twitter novamente por estar sendo atacado com ofensas: “Be well, be kind”.)

😒

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo