Pular o menu
 

Papo Cabeça

Entrevista com o Mig Music

:: 6 minutos de leitura

Conheça um dos maiores canais de adaptação de música de anime do YouTube.

HarikenAutor(a)

Olá, você aí, amante da música japonesa! Você já ouviu falar sobre as adaptações de músicas para o português? Venha conhecer um pouco sobre isso agora na entrevista com o nosso parceiro Mig Music!

O Mig Music é um incrível canal do YouTube que traz adaptações em português das famosas músicas de animes, sempre focando em fazer uma adaptação bem feita e de um jeito que os fãs da música original gostem.

Nessa entrevista, os nossos queridos DJs Daniel Skywalker e Sid entrevistaram os integrantes do Mig Music: Luiz Miguel (instrumental e vocal de guturais), Nato Vieira (adaptação da letra e vocal) e também o Augusto (instrumental e vocal) com algumas perguntas para saciar um pouco da curiosidade dos fãs.

Entrevista

DJ Daniel Skywalker: O que é o Mig Music? E como começou?

Miguel: O Mig Music na verdade é um projeto de 2017. No início, éramos apenas dois integrantes, eu e o Alexandre, fazendo covers de música japonesa, e depois de um tempo, lá em 2019, após a entrada do Nato na equipe que começamos com as adaptações em português e foi aí que tudo começou a dar certo.

DJ Daniel Skywalker: Quantos integrantes o Mig Music tem atualmente?

Miguel: Hoje temos seis integrantes na equipe, mas geralmente nós chamamos uma galera de fora, de outros canais, para fazer uma participação em certas músicas, tanto no vocal quanto na adaptação, menos no instrumental, que fica apenas para mim e para o Augusto. Mas atualmente somos: eu, Alexandre, Nato, Augusto, Sammy e a Celina.

DJ Daniel Skywalker: Como é o processo de adaptação das músicas do Mig Music?

Nato: Bem, nós criamos um doc contendo a música original em rōmaji, a tradução mais fiel possível da música e uma área para a adaptação e tentamos transmitir todas as mensagens da música original para o português, tentando manter a fonética da letra original, mas respeitando a nossa língua portuguesa, mas de uma maneira musical, tentando criar algo que não fique apenas uma tradução literária.

DJ Sid: Qual foi a música mais difícil de fazer para vocês?

Miguel: Bem, eu participo do vocal em algumas músicas com grito e gutural, e em questão de música a que me deu mais trabalho nesse quesito foi a What’s Up, People?! do anime Death Note. A música é muita gritaria, basicamente o tempo todo exigindo muito fôlego, e até mesmo na adaptação é uma música que não fala nada com nada e é muito difícil achar uma tradução que faça sentido para ela. E em questão de instrumental, seria qualquer música do Shingeki no Kyojin, porque é sempre uma orquestra e dificulta muito na hora de replicar.

Augusto: A música que eu tive mais dificuldade na questão de cantar foi a abertura de Digimon Adverture de 2020, que é uma música que não é extremamente alta, mas para o meu alcance ela estava chegando bem perto do meu limite. E na questão de instrumental, a que eu mais lembro de ter pesadelos à noite foi uma música de um anime recente também, chamado Gleipnir, chamada Altern-ate-, por ser um música que tinha muitos elementos de eletrônica, pelo fato de os sons da música eletrônica serem bem mais difíceis de descobrir e replicar de um jeito fiel.

Nato: Acho que a música mais difícil de cantar foi a segunda abertura de One Punch Man, que o vocal é absurdamente alto. E a letra mais difícil que eu fiz foi a segunda abertura da terceira temporada de Shingeki no Kyojin, com certeza foi a letra mais complexa que ja fiz.

DJ Sid: Vocês têm algumas inspiração dentro desse universo da música?

Miguel: Vai parecer um pouco estranho, mas minha inspiração é o próprio Nato, pelo fato de que eu não gostava muito de adaptações. Mas depois de conhecer o trabalho do Nato e quando eu comecei a trabalhar com ele, antes mesmo de ele entrar no Mig Music que eu comecei a curtir, e aí eu percebi que dá para fazer algo legal com adaptações se fizer direito, sabe?

Nato: Bem, eu me inspirei muito nas aberturas que passavam na televisão, como as aberturas de Pokémon, Digimon, Dragon Ball Z entre outros. E eu tento trazer nas minhas adaptações algo que fique bem parecido com essas aberturas que via na televisão, eu sempre tento fazer de um jeito pensando “E se passasse esse anime na televisão?” e eu tento fazer a música com essa mesma energia das músicas clássicas da televisão brasileira.

Augusto: Bem, no meu caso eu acredito que o que me move para frente é a minha paixão pela produção musical. Eu ouço álbuns que foram produzidos lá fora ou até mesmo aqui no Brasil de bandas de variados estilos, e o que me prende neles é o valor da produção que eles têm. E eu tento trazer tudo isso para o Mig Music e, claro, eles me dão a chance de trabalhar com diversos estilos.

DJ Sid: Gostaria de saber como é o processo de escolha dos vocalistas para cada música.

Miguel: Nesse quesito, nós meio que temos certos parâmetros quando a gente faz a escolha de vocalista. Por exemplo: quando a gente já ouve uma música mais aguda, mais nasal, a gente já vem e encabeça o Alexandre; quando é mais aguda feminina, já vem à cabeça a Sammy; quando é o oposto, quando é mais grave, é a Celina; quando já é mais rasgada, o Augusto; quando é bem grave, o Nato; e quando é grito (gutural), sou eu. A gente tem quase a equipe completa, cada um para certo tipo de música. A gente também chama um pessoal de fora pra não ficar maçante e porque eu acho legal dar essa oportunidade pra galera que está começando agora. Eu acho muito legal criar essa união nesse cenário ao invés de ficar nessa de ficar competindo.

DJ Sid: Como é essa interação de vocês com o público?

Nato: A gente procura saber o que o nosso público quer ouvir. A gente busca se aproximar bastante do nosso público para saber quais músicas trazer para o canal, mas claro, às vezes também trazemos algumas músicas de acordo com o nosso gosto, mas nós sempre damos essa liberdade para que o nosso público possa sugerir como melhorarmos.

Miguel: Eu acredito que é uma troca também. Ao mesmo tempo que temos que agradar a nós mesmos fazendo músicas que a gente gosta, a gente também procura agradar o público, já que são eles que tornam tudo isso possível. Nós sempre procuramos ler os comentários, apesar de que atualmente são muitas mensagens, mas eu sempre leio todos.

Confira a entrevista na íntegra

Bem, pessoas, neste artigo apenas apresentamos algumas das perguntas mais importantes da entrevista. Mas se você quiser ouvir as respostas mais completinhas e saber mais sobre o Mig Music, irei disponibilizar a entrevista completa aqui neste artigo mesmo, então aproveitem para saber ainda mais sobre o nosso grande parceiro, Mig Music!

Entrevista Completa com o Mig Music
😒
Voltar ao topo