Pular o menu
 

Papo Cabeça

Review: entrevista da Gabi Xavier!

:: 4 minutos de leitura

Tuzi voltando, após a entrevista com a Gabi Xavier, para trazer a vocês alguns pontos legais que foram abordados durante a entrevista!

TuziAutor(a)

Olá, jovens gafanhotos, aqui estou novamente para trazer alguns pontos interessantes que foram abordados durante a entrevista com a Gabi Xavier, que foi ao ar na semana passada!

Gentileza em forma pessoa, Gabi Xavier, youtuber otaku e gente como a gente, tirou um tempinho para conversar com a J-Hero! E a DJ Gaby, acompanhada do Suzuh e do DJ Nash, estiveram nesse bate papo!

Dos lugares que você visitou lá no Japão, qual você gostou mais?

Já de início, tivemos uma pergunta que, para muitos de nós, se torna interessante de ouvir; as experiências das viagens da Gabi! E a resposta dela não deixou a desejar!

Gabi Xavier: Kusatsu Onsen e o Castelo de Himeji.

Segundo a Gabi, sair do roteiro e visitar lugares diferentes do Japão foi o que fez desta última viagem dela a marcante e diferente. Em ambos, ela pode desfrutar da experiência de um Japão nos pequenos detalhes, seja nas roupas, na comida ou na interação com a cultura mais tradicional, conseguindo vivenciar e observar um Japão cotidiano do próprio japonês.

Kusatsu Onsen
Castelo de Himeji

Lugares como Vale Kiso, Sapporo ou as cidades e distritos que não são rotas de turismo, trazem esse conceito de vida comum. Em muitos animes do estilo slice of life, é possível observar essa vida cotidiana fora do padrão “Tóquio” que tanto vemos.

Existe algum anime que você assistiu aleatoriamente e gostou, mas que no MyAnimeList a nota era baixa?

Gabi Xavier: Sim, mas quando procuro por um anime no my anime list é mais para saber detalhes sobre os episódios ou a produtora.

Assim como a maioria de nós, ela também já encontrou aquele anime que capturou completamente a atenção, mas cuja nota acaba sendo baixa. Não apenas essa pequena frustração, mas em situações como estar curioso ou empolgado por um anime. Seja por indicação de amigos ou terceiros, ou pelo estilo e sinopse, mas acabar desmotivado ao ver uma nota baixa ou mediana.

Ela citou como exemplo Ninja Scroll, um filme animado de 1993 que, apesar dos traços datados, tem um roteiro muito bom, mas nota 7,6 (data da entrevista).

Tem algum anime ou mangá que você viu recentemente e queira nos indicar?

Gabi Xavier: Vou recomendar um que acabei de ler; Happiness!

Segundo as palavras da própria Gabi: este é um mangá de vampiros, mas que fala mais sobre relações humanas.

Happiness, com um enredo e curto e envolvente, é um mangá do mesmo autor de Aku no Hana, que tem os gêneros gore e terror entrelaçado a uma arte de qualidade visual surpreendente.

Tem algum anime que, quando veio para o Brasil, você preferiu a versão original ou a dublada?

Gabi Xavier: Difícil essa resposta. Eu não tenho nenhum problema com dublagem, inclusive a dublagem no Brasil é, sim, uma das melhores, independente do estúdio na qual ela foi feita.

No geral, ela comentou que não se importa em assistir a animes com dublagem brasileira. Entretanto, tirando o fator nostalgia, como em Yū Yū Hakusho, a preferência ainda é assistir no idioma original.

Durante o bate papo, foi um consenso que a diferença entre assistir dublado e em japonês legendado está apenas na adaptação e no gosto de quem assiste.

O que chega a incomoda-la é a dublagem em inglês, pois, segundo ela, os dubladores brasileiros muitas vezes conseguem colocar mais emoção e expressividade no que estão fazendo. Além da dublagem de anime, ela citou como exemplo a dublagem de cartoons também.

Ainda dentro do assunto…

Já no finalzinho da entrevista, foi comentado sobre os convites que estúdios fazem para pessoas no meio artístico e influencers serem convidados para participar de dublagens.

A Gabi citou sua própria experiência ao ser chamada para fazer uma “pontinha” na dublagem do filme My Hero Academia – O Filme: 2 Heróis, em que dublou uma personagem inédita.

Explicando o porquê de ter aceitado, ela disse que, por ser um algo rápido e de um personagem que não é fixo, ou seja, estaria apenas naquele filme, ela não viu problema em participar, afinal sua voz não estaria vinculada a algo permanente no anime em si.


Entre essas e outras perguntas, toda entrevista se desenvolveu muito mais como um bate papo, e todo o pessoal da Rádio J-Hero agradece a Gabi Xavier por ter passado esse tempinho conosco! Assim como também agradecemos ao pessoal da equipe envolvidos nessa entrevista.

Fiquem ligados, pois em breve mais entrevistas e conteúdos diferentes, feitos com carinho para vocês, estarão disponíveis! Isso será tanto na rádio como em matéria aqui no site da Rádio J-Hero! Esta que é sempre do seu jeito, do seu gosto!

😒
Voltar ao topo