Pular o menu

Na Lupa do Lunei

O que rolou de melhor e pior na J-Music do mês de Janeiro #2016

:: 6 minutos de leitura

Confiram os lançamentos mais interessantes que rolaram na Ilha do Sol Nascente durante o primeiro mês do ano, com faixas do FEMM, E-Girls, Bump Of Chicken e mais...

LuneiAutor(a)

O que rolou de melhor e pior na J-Music do mês de Janeiro #2016

Olá, pessoas incríveis que devem ter se divertido muito nesse Carnaval. Como estão?

Vamos dar continuidade a essa já tradicional série aqui na coluna onde reúno o que saiu de mais relevante, pelo menos no que eu considero como tal, lá no cenário musical japonês. Para a galera que não está acostumada e apenas checa o que eu posto sobre K-Pop, sugiro que deem uma chance e conheçam o Pop nipônico, que é muito rico e se divide em diferentes segmentos dentro dele, com muito Rock, EDM, R&B e várias referências únicas que só os japas consegue incluir em seu som.

Antes de tudo, um aviso: caso os players abaixo fiquem carregando eternamente, é fácil, apenas cliquem com o mouse em cima do vídeo e tudo irá aparecer normalmente. Esse é um possível bug dos links do J-Pop Tsuki TV – o que seria equivalente ao YouTube por lá – quando colocados em outros sites. Caso ocorra algum problema, não deixem de enviar seus feedbacks.

Vamos começar a delícia com uma banda de garotas que estão crescendo em idade e maturidade sonora…

 

E-girls – DANCE WITH ME NOW!

Essas lindas aqui são um exemplo do quanto as girl bands japonesas podem ser sensacionais em seus conceitos e maneiras como exploram suas sonoridades. O E-Girls é um tipo de “grupo Mega Zord”, com dezenas de garotas se dividindo entre as linhas vocais e o balé, além de possuir três subunidades bem distintas entre si: o Flower, que aposta num Pop/Rock com elementos folclóricos tradicionais japoneses e videoclipes onde uma das gatas canta e as outras ficam dando piruetas e se acariciando, o Happiness, que segue por uma vertente mais Urban, e o Dream, que é o mais Pop/R&B.

O que acontecia antes é que, quando todas juntas, sua sonoridade e pegada visual eram numa estética mais infantilizada, açucarada e alegrinha. Entretanto, elas estão crescendo, amadurecendo e, sabiamente, seus produtores entenderam que suas músicas devem acompanhar isso.

O resultado é esse Dance gostosinho, com um refrão bem grudento e elas se divertindo numa balada futurista no videoclipe…

 

Miliyah Kato – Future Lover

Essa tia aqui pegou o sample de One More Time, do Daft Punk, e deu um trato por cima, deixando-a um pouco mais moderna que a proposta anterior do duo francês. Particularmente, achei que ficou moderno demais com os breaks após o refrão e a mudança da melodia, parecendo com algo que o Calvin Harris faria e eu odiaria.

Entretanto, se não ligarmos tanto pra isso e ignorarmos a escolha duvidosa dela para o figurino, o MV é bem divertido…

 

FEMM – PoW!

Essas duas bonecas lindas! Agora que estão lançando seu álbum de estreia em formato físico – pretendo fazer um review em breve –, a dupla veio com um novo single que vai na mesma pegada que elas haviam nos mostrado em 2014: é sexy, é chiclete, é meio sinistro e essencialmente Pop, só que sem perder essa pegada alternativa que deixa tudo mais legal de ser apreciado.

Vamos perder a compostura e requebrar até o chão…

 

Narudora – Kagaku Buyou

Já que estamos falando sobre ser alternativo, essa faixa aqui é uma daquelas delícias Pop/Rock que, sabe-se lá como, acabam ganhando um molejo especial no refrão que só o Japão consegue nos proporcionar, funcionando tanto para shows quanto para as pistas de dança…

 

Cettia – Tsukiyo

Diminuindo o ritmo, mas só um pouquinho, temos esse segundo single da Cettia. É um Pop que começa meio lento e introspectivo, sendo quase choroso, mas que explode no refrão, com guitarras e bateria em evidência.

Tem muito cara de encerramento de anime – e talvez até seja e eu não tenha ideia disso…

 

Suiyoubi no Campanella – Macchi uri no shojo

Eu tenho uma paixão especial por esse grupo, visto o álbum deles no ano passado ter sido uma das coisas que eu mais escutei – tanto que incluí na minha lista de melhores álbuns orientais de 2015 e também pretendo postar um review mais pra frente nesse mês.

Para ter uma ideia, é um trio que faz umas maluquices com música eletrônica, deixando tudo com uma cara estranha e difícil de engolir na primeira escutada Entretanto, essa sujeira sonora acaba sendo fantástica e viciante com o passar do tempo. Duvidam?

Escutem então a deliciosamente sinistra Macchi uri no shoujo, que até lembra um axé remixado que qualquer coisa Pop. Sério, entra um saxofone aí do nada que deixa todo mundo de queixo caído…

 

Band Ja Naimon! – NaMiDa

Rock de shoujo + integrantes com voz de criança após ter inalado gás Hélio. Logo, eu adorei e todos irão detestar…

 

Knock Out Monkey – Goal

Eu geralmente ignoro esses J-Rocks que não fogem de nada que o Asian Kung-Fu Generation lançava na década passada – e eu adorava –, mas, logo após o refrão, o instrumental fica bem mais pesado que o que é mostrado no início e conseguiu prender a minha atenção. Tomara que prenda a de vocês também, pois isso está realmente bom…

 

FAKY – You

Gostosas do FAKY destruindo meu coração novamente!

Eu conheci esse grupo no ano passado através do single Afterglow e, agora, não me arrependi em nada ao ter apostado minhas fichas nelas. You é um Pop sensacional que só é levado por um violão, sintetizadores emulando videogame e as vozes maravilhosas delas.

Onde as pessoas estão com a cabeça para essa não ser uma das girl bands mais comentadas da atualidade?

 

NEWS – Touch

O NEWS deve ser o grupo masculino mais propositalmente feminino do mundo. E, sabe-se lá o motivo, isso realmente funciona. Na verdade, eu sei o motivo: as músicas! Eles sempre pesam a mão para que tudo fique extremamente dramático e caricato, fazendo com o a piada seja tanta que acabe deixando uma impressão positiva.

Touch não é tão memorável quanto os lançamentos deles no ano passado, tipo Chumu Chumu e Kaguya, mas, ainda assim, coloca no chinelo muito single de boy band coreana…

 

The Quiet Room – Instant Girl

Voltando para a ala de Rock/Alternativo japonês, temos esses caras aqui com uma faixa extremamente bem trabalhada em seu instrumental, que poderia ser simples para o que se propõe, mas vai além e destaca-os em meio a tantos grupos parecidos. O solinho de guitarra tá do caralho…

 

Bumb Of Chicken – Butterfly

Aqui estamos nós com mais um grupo que é bem conhecido da galera que já escuta web-rádios orientais há algum tempo. Não é o melhor que eles podem fazer, mas vale por ser um Dance com Rock agradável de escutar…

 

Three Lights Down Kings – Future Maker

O mesmo sobre a faixa anterior, sendo que aqui os caras pesaram mais a mão no Rock que no eletrônico, conseguindo um resultado muito mais legal…

 

Ame No Parade – Yuragi meguru kimi no naka no sore

Mais uma delícia com cara de hipster.

A bateria disso aqui vai explodindo de uma maneira tão inerente já do início que chega no refrão e toda a confusão está rolando em nossa cabeça. Além disso, tem uma porrada de solos de guitarra rolando em vários momentos da faixa, além deles utilizarem diferentes texturas na maneira como a voz é modificada com o autotune.

Sério, é bom pra cacete..

.

 

Hitorie – ONE-ME TWO-HEARTS

Mais um Pop/Rock estranho, com um videoclipe ainda mais estranho para uma faixa tema do anime Divine Gate…

 

Glim Spanky – Wild Side wo Ike

As percursoras internacionais do Rock feminino podem se sentir representadas no Japão, já que artistas ainda conseguem entregar por lá faixas tão deliciosas desses segmento.

Nesse MV, não tem qualquer exagero ou extravagância sonora, sim um Rock bem objetivo e direto, muito bem tocado e cantado que poderia facilmente ser produzido pelo Foo Fighters.

Possivelmente, é a melhor faixa de janeiro…

😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo