Pular o menu
 

Made in Ásia

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu…

:: 6 minutos de leitura

Há 70 anos o Japão se rendia a uma das maiores catástrofes já existentes e como uma forma de homenagem aos mortos os japoneses a recorda todos os anos. Confira!

Fany-ChanAutor(a)

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Memorial da Paz em Hiroshima. Foto: Dean S. Pemberton.

Yoo minna, estamos de volta com mais um Made in Ásia! E dessa vez conheceremos um pouco sobre um dos acontecimentos mais terríveis envolvendo o Japão. Se você já leu a descrição já deve ter uma ideia sobre o que eu vou tratar aqui, mas se ainda não leu (ou entendeu), o tema de hoje é sobre o Dia da Rendição do Japão à Segunda Guerra Mundial.

Hoje vamos falar um pouco sobre a Segunda Guerra, suas consequências e a data que comemora o dia em que o Japão levantou a bandeira branca. Estão preparados? Então coloquem os cintos e peguem um lanche, pois viajaremos para o Japão em 1945.

 

1 de setembro de 1939

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Adolf Hitler junto com suas tropas na Alemanha Nazista.

Essa foi a data em que os céus ficaram em tom cinza. Neste dia começava a Segunda Guerra Mundial. Provavelmente a maioria de vocês já conhecem essa história através de livros didáticos e muitos devem ter quebrado a cabeça para decorar quem era da Aliança e quem era do Eixo.

Antes de contarmos a participação do Japão e falar sobre o dia da rendição, vale lembrar um pouco o que foi e como aconteceu a 2ª Guerra Mundial. Por isso, trouxe abaixo um vídeo com um super-resumo dos acontecimentos da mesma:

Como puderam ver, no dia 1 de setembro de 1939 é dado o inicio da guerra com a invasão da Alemanha à Polônia e com o Reino Unido e a França declarando guerra ao país comandado pelo Adolf Hitler. Após os diversos confrontos e invasões a guerra praticamente chega ao fim seis anos mais tarde com a Itália assinando a rendição no dia 29 de abril de 1945 e a Alemanha no dia 7 de maio.

Como o Japão continuou a ignorar os termos da Declaração de Potsdam (declaração publicada em 26 de julho de 1945 onde traçavam os termos de rendição do Japão), o país recebeu um “presentinho” bem desagradável dos Estados Unidos. Nos dias 6 e 7 agosto Hiroshima e Nagasaki recebem bombas nucleares, marcando para sempre as cidades.

 

Little Boy e Fat Man

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Nuvem atômica de Fat Man em Nagasaki. Foto: Hiromichi Matsuda.

O 509º Grupo das Forças Armadas do Exército dos Estados Unidos foi equipado com as aeronaves Boeing B-29 Superfortress e chegando às cidades liberaram as bombas atômicas “Little Boy” (de urânio) em Hiroshima e “Fat Man” (de plutônio) em Nagasaki, mesmo com o Japão não gerando conflito nesses últimos meses.

Após quatro meses, ao atingirem as cidades, as bombas mataram aproximadamente 166 mil pessoas em Hiroshima e 80 mil em Nagasaki, a metade desses foram mortos na hora da explosão e os demais morreram com queimaduras, envenenamento radioativo e demais lesões provocadas pela radiação liberada das bombas atômicas.

Sem contar que até hoje, setenta anos depois, ainda existe radiação nas terras onde eram as cidades e as pessoas que visitam ainda correm o risco de serem contaminadas e “ganharem” câncer.

Em ambas as cidades a maioria dos mortos foram civis, como explicado no vídeo, apesar de que em Hiroshima havia muitos militares japoneses, por ser uma importante cidade industrial e militar e possuir um certo número de sedes militares nas suas proximidades.

 

Decolando…

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Chanceler Mamoru Shigemitsu assinando o documento de armistício. Foto: Army Signal Corps.

Uma semana após os bombardeamentos no Japão, o país se rende, mas a assinatura oficial do armistício vai ocorrer somente em 2 de setembro do mesmo ano, no navio USS Missouri na baía de Tóquio.

No dia Umezu Yoshijiro (general japonês) assina o documento representando as Forças Armadas do Japão e Mamoru Shigemitsu (chanceler) assinou representando o Governo Japonês.

Esses foram julgados por crimes de guerra mais tarde. E Umezu morreu na cadeia enquanto Mamoru morreu em 1957 servindo ao governo japonês em liberdade condicional.

 

O aniversário do rendimento

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Imperador Akihito e imperatriz Michiko no altar Deippon Budokan, em Tóquio 2013. Foto: Franck Robishon.

Após todos esses acontecimentos, todos os anos no dia 15 de agosto é comemorado no Japão o Dia do Rendimento do país. Você pode achar estranho comemorarem no dia 15, mas vale lembrar que foi nesse dia em que o Japão realmente se rendeu, mesmo sendo somente no dia 2 de setembro a assinatura do documento de armistício.

Para celebrar a data todo ano há um cerimonial que ocorre na baía de Tóquio e no Budokan Hall (Salão de Artes Marciais) em memória aos mortos durante os confrontos.

A cerimônia reúne todos os anos milhares de pessoas, entre parentes dos mortos, veteranos de guerra, turistas e representantes do governo. Essa fica cheia de crisântemos (kiku), flores consideradas “as flores nacionais do Japão”, sendo uma bela cerimônia.

Há também outras cerimônias, para recordar os acontecimentos da Segunda Grande Guerra e para homenagear os mortos, como Mitama Matsuri que ocorre todo ano desde 1947 no Santuário Yasukuni. E nesse ano no ponto exato onde caiu a bomba em Hiroshima milhares pessoas de mais de 100 países se reuniram para ficarem um minuto em silêncio em homenagem aos mortos.

 

O Santuário de Yasukuni

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Templo Yasukuni, Tóquio.

Esse santuário fica em Tóquio e é o principal ponto de encontro para o Mitama Matsuri. Yasukuni, em japonês, significa “santuário do povo pacífico” ou “santuário para estabelecer a paz no império”. Ele é o santuário xintoísta dedicado aos soldados que morreram lutando pelo Imperador Japonês.

Mas esse carrega uma polêmica que já gerou diversas revoltas e protestos internos e nos países vizinhos, como na China, nas Coreias e no Taiwan, pois, apesar de ser uma de homenagear os mortos, ele recorda as lembranças da época do Japão militarista que deixaram muitas “feridas” nesses países.

Nele há o Livro das Almas, onde contém uma lista com os nomes de todos os soldados que morreram em combates bélicos e entre esses nomes encontram-se catorze criminosos da Segunda Guerra Mundial e isso já gerou diversas revoltas. Até o ano de 2004 esse livro continha cerca 2,4 milhões de nomes de soldados japoneses e coloniais, sendo 27.863 coreanos e 21.181 taiwaneses.

Apesar de ser um local cheio de polêmica, para se ter uma ideia os altos cargos do império evitam ir ao mesmo e o atual imperador, Akihito, nunca visitou o templo, esse que atrai mais 8 milhões de pessoas ao ano sendo uma das principais atrações em datas memoriais ligadas à 2º Guerra.

 

…Pousando

2 de Setembro: O Dia em que o Japão se Rendeu...

Praça do Memorial da Paz, Hiroshima, 2010. Foto: Shuji Kajiyama/AP.

Como todos já sabem esse foi um dos períodos mais marcantes da história da humanidade e pela tecnologia já existente na época provocou grandes catástrofes. De acordo com a Wikipédia (não zoem, pode não parecer, mas a Wikipédia é um site sério) mais de 2,3 bilhões de pessoas morreram durante os confrontos da Segunda Guerra Mundial.

Bom, e é com esse dado super-animador que a nossa viagem chega ao fim. Espero que tenham gostado e deixem aí nos comentários o que vocês acharam dessa matéria, contem também a opinião de vocês sobre os conflitos da Segunda Guerra Mundial e, por que não, algo que esqueci de citar aqui. ^^

Até a próxima matéria. O/

😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo