Pular o menu
 

J-Music ao Redor do Mundo

A triste história da banda que não deu certo

:: 6 minutos de leitura

A triste história de uma banda que acabou sem ter seu devido reconhecimento.

HarikenAutor(a)

Olá, pessoas, Hariken aqui! Hoje trago uma triste história, uma que dói no fundo do meu coração: a história de uma banda que eu amava, que fez parte de um momento apaixonado da minha vida e que acabou tendo o triste fim de ter acabado sem o seu devido sucesso.

Vamos começar com essa triste, triste história. Bem, o FLiP foi uma banda de Okinawa formada em 2006, formado pela vocalista/guitarrista Sachiko, a guitarrista Yūko, a baixista Sayaka e a baterista Yūmi. Seu maior hit de sucesso eu diria que foi em uma abertura do popular entre os impopulares: o anime Gintama.

Bem, são muitas as coisas que aconteceram com o FLiP, mas irei resumir um pouco do que sei para vocês sobre essa banda que vai me deixar as eternas saudades, mas quem sabe elas não voltam em um futuro não tão distante, não é mesmo?

O começo de tudo: Haha Kara Umareta Hinekure no Uta

FLiP – Haha Kara Umareta Hinekure no Uta

O começo de tudo foi basicamente aquela vibe indie, o diferencial de ser uma banda só de garotas tentando alavancar sua carreira no mundo da música em um país tão conservador que raramente se via bandas totalmente femininas, mas isso não era uma barreira para o grande sonho da banda.

O reconhecimento: miniálbum Dear Girls

FLiP – Now Get a Strawberry

E depois de muito esforço da banda, elas conseguiram assinar um contrato com uma subsidiária da Sony chamada Defstar Records. Seria a maior alegria de uma banda conseguir o reconhecimento para ter uma gravadora interessada na música delas, sem contar o grande nome “Sony” envolvido nisso tudo. Pensa que isso no final não seria um mar de rosas como o planejado.

O primeiro grande álbum: Michi Evolution

FLiP – Nagai Kiss

E olha só, um grande álbum com certeza é o sonho de muitas bandas. Vemos muita qualidade da banda no álbum Michi Evolution; eu não diria que foi um grande sucesso da banda, não diria que foi um álbum que teve boas vendas, mas eu diria que, a partir desse momento, as meninas do FLiP começavam a chamar a atenção.

O grande estouro: Wonderland

FLiP – Wonderland

E como eu disse, o FLiP chamou a atenção de muitos, mas com certeza sua aparição em uma abertura do popular, mas não tão assim popular Gintama foi um grande estouro, trazendo diversos fãs do mundo todo. Mas o que poderia ter sido o começo de um grande sucesso infelizmente seria onde começaríamos a ver um dos maiores problemas para a banda e que não podíamos nem prever: a Sony.

A grande vilã: Sony

Bem, como eu disse antes, a produtora da banda era apenas uma subsidiária da Sony, mas infelizmente por ser subsidiária da empresa acabamos vendo algo que acabou matando o pouco da popularidade da banda. Mas antes de explicar a “culpa” da Sony eu preciso explicar um outro conceito para vocês: a lei antipirataria.

O Japão é um país com leis rigorosas para tentar deter a pirataria, não só para o caso de músicas, álbuns e CDs, como também para animes, mangás e diversos outros tipos de mídia. Claro que são leis para preservarem o mercado e também as empresas de terem prejuízos graças à pirataria. É um conceito muito debatível nos dias de hoje, mas é o que eu diria de um mal necessário, apesar de que tem seus lados negativos.

A Sony é uma das grandes empresas que sofrem com a pirataria e que se posiciona muito forte junto com a lei antipirataria japonesa, mas o que isso acarreta para as pequenas bandas de músicas? Bem, com esses movimentos para impedir que músicas sejam facilmente “baixadas” pela internet, o Japão e muitos distribuidoras evitam postar conteúdos em mídias que facilitam o roubo de propriedade e também evitam fazer vendas de discos, álbuns e mídias para fora do país para não facilitar no “pirateamento” de suas propriedades em terras estrangeiras, onde o governo japonês não tem jurisdição.

O clipe que nunca existiu: Wonderland

Bem, graças a essas leis e também pelo cuidado da Sony com suas propriedades intelectuais, acabamos tendo um grande problema para a banda FLiP, com o seu maior sucesso sendo o single Wonderland. A banda criou um dos seus melhores clipes que já foram feitos na história da música japonesa (um certo exagero de um fã, eu diria), que trazia muita referência a uma das inspirações da banda, que é a banda Franz Ferdinand, e com um clipe que era uma clara referência a um dos clipes mais famosos mundialmente, Take Me Out, mas que infelizmente não podemos ver na internet por ser conteúdo de direito da Sony e então ela impede de que esse clipe fique no ar, impedindo assim que a banda consiga seu sucesso além dos mares.

A volta para Gintama: Katoniago

FLiP – Katoniago

Com certeza Gintama foi a casa de muitas bandas boas, e sua participação na série principal com Wonderland foi incrível. O FLiP acabou voltando com uma música do álbum Dear Girls para o Yorinuki Gintama-san, que era uma reprise resumida dos episódio do anime Gintama.

A “mundança” (mas mudou mesmo?): Universal Music

FLiP – Girl

Bem, depois de muito tempo, a banda resolveu largar a Defstar Records e resolver ir para a EMI records, que é uma subsidiária da Universal Music Japan, uma outra grande empresa que também está atrelada fortemente à lei antipirataria japonesa. Um pouco menos exigente desta vez, tendo assim até algumas músicas dessa era da banda no YouTube, como o clipe Girl e o clipe Madona no canal oficial da Universal Music Japan. Mas quando digo menos exigente eu digo uma pequena diferença, já que é uma distribuidora que também não permite a venda de discos e mídias para fora do Japão.

O final (?) – Jeremy

FLiP – Jeremy

A banda no final conseguiu criar seu próprio canal no YouTube, o que é um grande avanço e que daria mais visibilidade para a banda, e víamos a banda com um pegada diferente, mas que trazia muita qualidade em seu conteúdo. Eu diria que foi uma incrível evolução da banda, mas que infelizmente já não conseguiria mais alcançar a mesma fama da época em que elas poderiam ter brilhado mais, e infelizmente elas perderam uma chance de ouro e que, em grande parte, não foi culpa delas.

Considerações finais

Bem, eu sei que eu trouxe a história de uma banda bem desconhecida, mas era realmente uma banda que eu amava e via tanto futuro, e que no final acabou sofrendo por coisas que elas não poderiam nem imaginar. É bem triste ver o quanto a lei antipirataria afeta uma banda, e eu sei os motivos para a lei existir, mas que é uma triste infelicidade com certeza é.

😒

Tags

Compartilhar

  • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
Voltar ao topo