Pular o menu

Galeria Seinen

Confira a Entrevista com o diretor de Silver Spoon e Sword Art Online!

:: 7 minutos de leitura

Correspondente no Japão de um portal otaku norte-americano entrevistou Tomohiko Ito. E só aqui você pode conferir o conteúdo da conversa em português... Saiba mais...

YasukeAutor(a)

Confira a Entrevista com o diretor de Silver Spoon e Sword Art Online!

No atarefadíssimo mundo das produções japonesas, uma correspondente do portal americano Anime News Network conseguiu a façanha de convencer um famoso diretor de animes a pausar um pouco a vida corrida e conceder uma entrevista muito interessante.

Crystalyn Hodgkins conversou com Tomohiko Ito, diretor de animes como Seikimatsu Occult Gakuin (Occult Academy) e Sword Art Online, além de ter participado da produção de Ao no Exorcist, Claymore, Death Note, Guilty Crown, Hunter x Hunter, entre outros.

Ito falou sobre as diferenças entre dirigir um anime original e um anime baseado numa obra pré-existente, abordou também detalhes sobre alguns aspectos técnicos de funções importantes na produção e porque ele se tornou um diretor de animes.

 

Crystalyn Hodgkins: O que você acha dos fãs americanos de anime?

Tomohiko Ito: Os fãs são muito enérgicos e empolgados. E é divertido ver como eles também não têm medo de demostrar essa energia.

 

Crystalyn Hodgkins: Sword Art Online se tornou um grande sucesso, não apenas no Japão, mas em todo o mundo. Em sua opinião, o que em especial fez com que Sword Art Online atraísse tantos fãs pelo mundo todo?

Tomohiko Ito: Particularmente, posso dizer que tivemos sorte, mas verdade seja dita, eu acho que houve no anime elementos temáticos e personagens que tiveram um apelo geral. E isso já estava pronto na obra original… Talvez, seja por isso. Por não ser uma obra culturalmente específica.

Confira a Entrevista com o diretor de Silver Spoon e Sword Art Online!

Crystalyn Hodgkins: O que o atraiu inicialmente nesse projeto?

Tomohiko Ito: Na verdade, é um pouco constrangedor ter que admitir isso, mas eu não conhecia muito sobre a obra original. De fato, eu soube que o estúdio havia conseguido a licença para uma adaptação, quando me perguntaram se eu estava interessado. Quando comecei a ler, pensei “Oh, então é isso o que é popular atualmente?” Mas em minha opinião, pareceu ser direcionado ao público jovem-adulto e foi isso o que me atraiu.

Fazer algo que interessasse mais a este tipo de público do que ao público adulto em si. Para deixar claro, estou nos meus “trinta” (anos), estava analisando a obra e pensando como seria se algum de nós (trintões) olhasse para trás em nossa juventude e então produzisse algo que parecesse realmente inédito e novo para as gerações mais novas.

Crystalyn Hodgkins: Você joga MMORPG?

Tomohiko Ito: Joguei alguns enquanto pesquisava para o projeto, mas desde que finalizei Sword Art Online, não tenho tido tempo para jogar nenhum vídeo game. Vejo vídeo games também como trabalho, pois fez parte do projeto em que eu estava trabalhando.

 

Crystalyn Hodgkins: Que tipo de vídeo games você gosta?

Tomohiko Ito: Quando eu era mais jovem, eu definitivamente gostava mais de RPGs tradicionais como Dragon Quest.

 

Crystalyn Hodgkins: Sword Art Online é baseado na light novel de Reki Kawahara. Quais foram os prós e os contras na criação de um anime baseado em uma obra já existente?

Tomohiko Ito: Light novels são escritas em prosa, por isso 100 pessoas vão ler e ter 100 opiniões diferentes de como imaginam a aparência e a maneira de agir dos personagens. Então o desafio de fazer uma adaptação de uma obra original era fazer com que pelo menos 80% das pessoas pensarem “Oh, isso pode dar certo!” ou “Oh, ficou do jeito que eu imaginava que fosse!”. Não se quer contrariar muitas pessoas porque não é o que elas esperavam, mas também há aqueles que pensam “ficou perfeito!”.

Confira a Entrevista com o diretor de Silver Spoon e Sword Art Online!

Crystalyn Hodgkins: De modo inverso, sua estreia como diretor foi em Occult Academy, um anime original sem ligação alguma com materiais pré-existentes. Quais as diferenças de trabalhar em uma história original?

Tomohiko Ito: Para mim, às vezes, é mais fácil utilizar uma obra que já existe, porque dessa forma você pode cobrir uma ou outra parte da light novel ou do mangá em cada temporada. Porém, em um anime original sem nada como base, é preciso começar do zero.

Temos uma folha em branco sem personagens, sem roteiro, e às vezes leva meses para começarmos um enredo. Isso é definitivamente um desafio, mas também é muito divertido porque temos completa liberdade de criação.

 

Crystalyn Hodgkins: Qual você prefere dirigir?

Tomohiko Ito: Eu preferiria, na próxima vez, um anime completamente original.

 

Crystalyn Hodgkins: Você também trabalhou como artista de storyboard em vários animes famosos como Death Note e Monster. O que você mais gosta ao fazer o storybard de um projeto?

Tomohiko Ito: Storyboards para anime são essencialmente diagramas. Eles são o elemento fundamental pelo qual o anime é iniciado. É muito importante para um artista de storyboard não apenas se controlar, mas também a fluidez do processo. Não apenas o fluxo da história, mas o fluxo cronológico em termos de tempo de gravação ou o número de células ou imagens por minuto.

Há um termo que nós usamos chamado “contagem de calorias” que significa que você tem que regular o andamento. Em consequência disso um episódio pode focar menos em ação para que a equipe de produção não se desgaste a ponto de não ter energia bastante para o próximo episódio. Claro, que algumas vezes é preciso fazer ajustes de emergência, mas como um artista de storyboard, acredito que um dos aspectos mais gratificantes é o controle que temos sobre todo o resto do processo de produção.

Confira a Entrevista com o diretor de Silver Spoon e Sword Art Online!

Crystalyn Hodgkins: Seu trabalho atual é a segunda temporada da adaptação de Silver Spoon de Himoru Arakawa. Silver Spoon não está disponível nos Estados Unidos, mas os fãs se familiarizam com o mangá porque ele foi escrito pela mesma criadora de Fullmetal Alchemist. O que você poderia falar desse novo projeto para aqueles que estão esperando o anime?

Tomohiko Ito: Eu não sei o quão intencionada Arakawa-sensei estava quando ela desenhou Silver Spoon. Não acho que ela desenhou pensando que seria um sucesso imediato ou algo do tipo. Ela começou a desenhar casualmente e quando o mangá se tornou um sucesso, tanto ela quanto o seu editor ficaram surpresos.

De certa forma, eu sinto muita pressão por esta série porque há muita expectativa sendo criada.  Para aqueles que se tornaram fãs da criadora de Fullmetal Alchemist, Silver Spoon é completamente diferente. Então você pode ser surpreendido, apesar de eu achar que esta série e este estilo representam Himoru Arakawa muito mais do que Fullmetal Alchemist.

 

Crystalyn Hodgkins: Porque você quis se tornar um diretor de animes?

Tomohiko Ito: Eu sempre gostei de fazer animação e anime. E eu não queria trabalhar para outros diretores que não fossem grandes diretores. Não me importava se eu trabalhasse como diretor de unidade se o diretor geral fosse um grande diretor. Mas como eu não queria continuar trabalhando com algumas pessoas que eu não gostava de trabalhar, decidi eu mesmo me tornar diretor geral.

 

Crystalyn Hodgkins: Houve alguma obra que o inspirou a se tornar um diretor de animes?

Tomohiko Ito: Neon Genesis Evangelion.

 

Crystalyn Hodgkins: Que mensagem você gostaria de deixar para os seus fãs?

Tomohiko Ito: Quero dizer aos meus fãs que eu sei que há mais e mais animes sendo lançados todo ano e deve ser muito difícil para vocês lidarem com tantas opções. Entretanto vou continuar trabalhando duro para produzir bons animes para vocês assistirem e apreciarem.

Confira a Entrevista com o diretor de Silver Spoon e Sword Art Online!

Nota: Não há tradução para a palavra storyboard em português. Storyboard é uma série de painéis que delineiam as cenas e as sequências da ação como serão expostas em filme ou vídeo. É uma espécie de rascunho que determina as imagens e o tempo de duração de cada quadro, como você pode ver na imagem acima. O processo conhecido como storyboarding foi desenvolvido pelos estúdios Walt Disney na década de 30.

Atualmente, os artistas de storyboard tem a tecnologia como aliada. Os desenhos podem ser feitos direto em computadores através de softwares desenvolvidos especificamente para este fim. O tempo e o esforço físico que seriam gastos no desenho manual são poupados, tornando as produções cada vez mais ágeis e eficazes.

😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo