Pular o menu
 

Café Otaku

TOP 10: Gêneros de animes

:: 5 minutos de leitura

Você sabe diferenciar os gêneros dos animes? Se não, esta lista é para você!

SuzuhAutor(a)

Konnichiwa, minna! Todo mundo que assiste anime já se pegou pelo menos uma vez na vida confuso com categorias de anime e mangás, não é mesmo? Inclusive eu mesmo já fiquei confuso às vezes.

Por isso, nesta segunda matéria da coluna Café Otaku, eu decidi fazer um TOP 10 gêneros de animes para explicar o significado das categorias de animes e mangás, então se você tem alguma dúvida sobre alguma categoria, leia a lista abaixo e tire suas conclusões.

1. Shōnen

Vamos começar com o shōnen, que nada mais é uma categoria de mangá e anime direcionado essencialmente a jovens do sexo masculino, embora possa ser lido por pessoas de qualquer idade e/ou sexo.

Considerado o gênero de mangá com maior êxito, envolve normalmente enredos com ação e humor em redor das aventuras dos protagonistas. As histórias podem ainda incluir personagens femininas atraentes, embora isto não seja obrigatório.

2. Shōjo

Se o shōnen é para os os jovens do sexo masculino, o shōjo já é a categoria voltada essencialmente a jovens do sexo feminino. As histórias que normalmente envolvem interações complexas entre as personagens estão normalmente associadas a enredos românticos e melodramáticos.

Apesar de o gênero ser um dos mais comuns junto com o shōnen, nas histórias existe também espaço para a fantasia, ficção científica, mistério e terror. Embora a arte varie de artista para artista, as personagens femininas sendo as protagonistas são geralmente bonitas, com olhos grandes e um estilo de desenho elegante.

Então Sailor Moon é considerado um anime shōjo? Mais ou menos, Sailor Moon está na categoria mahō shōjo, que significa garota mágica.

3. Hentai e ecchi

São categorias diferentes, mas explicarei os dois de uma vez só: ecchi, no ocidente, é utilizado para designar mangás e animes com conteúdo erótico, isto é, com cenas de índole sexual.

Na maior parte dos casos, as histórias apresentam momentos humorísticos de caráter sexual ou de nudez, mas não a prática do ato sexual explícito. Um exemplo de ecchi é o anime Love Hina.

Já o hentai é utilizado para mangás e animes com estilo de teor pornográfico e conteúdo sexual explícito. O hentai permite a existência de elementos sexuais fantasiosos impossíveis de serem representados de outra forma senão desenhados, como atos sexuais fisicamente impossíveis e/ou inaceitáveis no seio da sociedade.

Desta forma, no Japão, a palavra hentai significa anormalidade, perversão sexual ou metamorfose, pelo que os enredos podem conter cenas que envolvam tentáculos, criaturas, elementos fantasiosos e outros fetiches.

4. Mecha

Mecha nada mais é uma categoria que envolve histórias cujo tema está centrado em robôs (mechas) e seus correspondentes pilotos. O público-alvo é variado, podendo abranger desde crianças até jovens e adultos do sexo masculino, sendo comuns enredos com personagens em luta contra o mal, acompanhados de robôs de vários tamanhos e equipados com diferentes armas.

5. Shōnen-ai

Shōnen-ai nada mais é que uma categoria cujas histórias retratam relações amorosas entre homens adultos e/ou adolescentes. Portanto nos mangás e animes classificadas como shōnen-ai não existem cenas de sexo homossexual explícitas. É normalmente um gênero apreciado por moças estudantes e donas de casa.

6. Shōjo-ai

Shōjo-ai nada mais é a categoria que foca em relações homossexuais e que é muito apreciado pelo público feminino, não só no Japão, como no resto do mundo. Além do amor entre dois homens, as histórias podem conter cenas sexualmente explícitas.

Grande parte das histórias espalhadas pelo mundo assume a forma de dōjinshi, apesar de no Japão o número de obras profissionais ser alto.

7. Yaoi e yuri

O yaoi é uma categoria que foca na representação romântica e de aproximação entre garotos, ou seja, tendo assim um relacionamento entre os mesmos. Esta categoria geralmente é apreciada por garotas, mas ainda tem alguns rapazes que também apreciam este estilo de anime e mangá.

Já o yuri é uma categoria que retrata relações lésbicas, sendo, no entanto, menos difundido do que o yaoi. As histórias podem retratar relações românticas entre mulheres, mas também podem apresentar teor sexual explícito, distinguindo-se, assim, do shōjo-ai.

O público a que é destinado pode ser tanto masculino como lésbico. É também frequente encontrar o yuri sob a forma de dōjinshi.

8. Dōjinshi

O dōjinshi trata-se de mangás elaborados e distribuídos por fãs que são na sua maioria amadores. Normalmente os dōjinshi retratam histórias alternativas de obras consagradas ou até mesmo paródias destas.

Para além de obras publicadas no Japão, alguns utilizam como base trabalhos ocidentais como a saga Star Wars ou Harry Potter. Muitos apresentam histórias eróticas com personagens conhecidas de outros mangás, animes ou jogos, sendo este tipo de dōjinshi mais conhecido no ocidente, o que leva os fãs a considerar as obras erradamente como sinônimo de mangás eróticos.

Vários artistas famosos iniciaram com trabalhos deste gênero, como o grupo CLAMP (Sakura Card Captors, Chobits) ou Kōshi Rikudō (Excel Saga).

9. Josei e seinen

O josei é uma categoria direcionada a um público feminino adulto, sendo o equivalente feminino do seinen.

As histórias retratam o dia-a-dia das mulheres japonesas e, embora algumas possam ter como pano de fundo a escola secundária ou a universidade, a maior parte decorre durante a vida adulta.

A arte mantém a beleza e graciosidade que se verifica no shōjo, mas as personagens deixam de apresentar olhos grandes e exagerados porque o estilo de desenho é mais realista.

Já o seinen é uma categoria cujo público-alvo são homens com idades compreendidas entre os 18 e 30 anos, muito embora possa também ser direcionado a homens de negócios com idades até os 40 anos.

É por vezes classificado como shōnen, mas possui características que o distinguem deste gênero, pois contém uma ampla variedade de histórias com enredos mais adultos, podendo mesmo apresentar conteúdos violentos, sexuais, políticos, entre outros.

10. Lolicon

Vamos terminar a lista com a palavra que todo mundo faz piada: lolicon é uma categoria que, fora do Japão, é referente a histórias que envolvam meninas menores de idade ou personagens com características físicas de menores de idade em situações sexuais ou de nudez.

A palavra lolicon deriva da abreviatura de lolita complex, ou seja, complexo lolita, referente ao romance de Vladimir Nabokov, Lolita. No Japão, a palavra é usada para a pedofilia.

Espero que tenham gostado da lista e que tenha ficado bem clara a explicação dos gêneros para não terem mais dúvidas. Até a próxima, galera!


E aí, gostou da matéria? Quer escrever? Então se inscreva para ser um redator da Rádio J-Hero: acesse a página Trabalhe Conosco e se inscreva para redator. Estamos esperando sua ficha! =D

Voltar ao topo