Pular o menu

Bonus Stage

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

:: 5 minutos de leitura

Na indústria da tecnologia, sempre haverão riscos a se correr. Mas nem sempre arriscar dá certo, e aqui apresentarei 5 tentativas que deram errado

HibachiAutor(a)

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

Olá, ouvintes que aqui estão lendo! Finalmente chegou aquilo que todos estavam esperando: a primeira Bonus Stage do ano!!! Não escrevi antes por preguiça de pensar em um assunto, mas aqui estou eu de volta, livre da ressaca, finalmente, e pronto para tirar a poeira e as uvas passas de cima da minha querida coluna. Pois bem, vamos começar?

A indústria da tecnologia precisa sempre estar evoluindo para ter algum espaço no mercado, e qualquer ideia que pareça boa é sempre um passo para andar. Como toda boa área da tecnologia, os jogos eletrônicos também precisam correr riscos.

Mas não é sempre que os riscos dão resultado e, na maioria das vezes, o público acaba olhando torto para a ideia, e isso acaba se tornando um tiro pela culatra para a empresa, assim muitas vezes ela nem sai ao mercado. Eu vou apresentar 5 ideias para video-games que pareciam uma boa no começo, mas acabaram não sendo tão boas ideias assim. Vamos lá:

Trava de Região

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

O que é a trava de região? É um bloqueio para aparelhos eletrônicos que os deixam incapazes de reproduzir um disco de outra região.

Para simplificar a explicação, vamos focar nos consoles. Vários consoles nas gerações passadas tinham a temida trava de região, que os deixavam incapazes de rodar um jogo de outra região. Por exemplo, se você comprase um jogo na Europa, ele não poderia rodar jogos fabricados na América, nem jogos Japoneses.

Isso deixava as coisas mais complicadas para quem queria importar jogos (o que não era tão comum há mais de 10 anos atrás, mas acontecia), o que levava ao desbloqueio ilegal.

A partir da geração passada, foi notado que a trava de região paralizava parte do comércio e atrapalhava vários jogadores, então a Sony e a Microsoft tiraram essa trava dos seus consoles, Playstation 3 e Xbox 360, sendo esse último ainda novo no Brasil e ainda com trava em alguns casos. Entretanto, a Nintendo continua com essa incorporação em seus consoles.

PS Move

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

Quem já ouviu falar do PS Move?! Essa foi a resposta da Sony ao popular Wii Remote. Ou pelo menos uma tentativa…

O PS Move teve uma proposta muito legal, que era levar a interatividade do Wii para o seu Playstation 3, mas a falta de suporte e a ausência de jogos de peso com a tecnologia fizeram o pobre periférico cair ao esquecimento aos poucos.

Virtual Boy

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

Não é de hoje que tentam brincar com realidade virtual, mas só atualmente começou a dar certo.

E o topo da lista dos fracassos pode ser o lugar do Virtual Boy, um dos primeiros periféricos para RV que já existiram, que é simplesmente uma aula executada de como não fazer um produto.

O visor só tinha duas cores, praticamente nenhum jogo, e causava dores de cabeça com períodos longos de jogatina. E, além disso, ele se dizia um portátil, mas era tão grande que precisava ser apoiado em uma mesa, além de ser caro demais para a qualidade que apresentava.

Como resultado disso, foi um fracasso comercial, descontinuado em menos de um ano e ninguém mais quer lembrar dele hoje em dia (e eu espero que essa seja a última vez que eu falo dele na minha vida).

Sega Saturn

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

"Por que o Sega Saturn, Hibachi?" é o que muita gente vai perguntar. Mas eu vou dar meus motivos pra provar que o Sega Saturn foi um fracasso.

Comercialmente falando, ele até se saiu bem, mas foi uma ideia mal executada e empurrada para os consumidores. Tentaram fazer um console poderoso da forma errada, o que fez com que seus jogos tivessem uma qualidade abaixo do seu concorrente recém-nascido e com menos potencial, o Playstation.

Some isso a uma biblioteca fraca de jogos, preço pouco acessível e uma empresa quase falindo pelo seu projeto mal feito. E aqui temos um fracasso em execução.

Tanto que ele foi esquecido cedo demais e lançaram outro console, praticamente sem dinheiro, tentando ser, mais uma vez, o console mais poderoso da geração, que perdeu para o Playstation 2 (lançado 1 ou 2 anos depois). E foi por isso, amiguinhos, que a Sega parou de fabricar consoles.

Zeebo

Cinco criações para video-games que deram errado de alguma forma

Ah, o Zeebo… Se você é gamer e anda muito pela internet, você com certeza já ouviu falar dele. O console brasileiro que sumiu em 3 anos não poderia faltar nessa lista.

Ele é, tecnicamente, um console da sétima geração (Playstation 3, Xbox 360 e Wii), que veio para ser uma alternativa menor aos gigantes da época. Mas o problema do Zeebo é que ele tinha tudo pra dar errado.

Pra começar, ele usava 3G como conexão padrão com a rede. Mas isso não seria problema, se ele tivesse mídia física. Mesmo que a biblioteca de jogos nem fosse tão extensa, os jogos mais atrativos foram excluídos, e não eram tantos dos que sobraram que fossem realmente atrativos, sem contar que eles ainda usavam a resolução VGA (640×480).

A Zeebo Inc. tinha perceria com vários países, mas muitos deles não pareciam muito interessados no console pouco promissor, e ele só foi lançado no Brasil, no México e na China, e foi descontinuado nos dois primeiros.

…..

Na vida tem que se tomar riscos, mesmo que às vezes possa dar tudo errado. Mas sempre iremos aprender algo com os erros. Tem mais algum outro fracasso que você queria ver por aqui? Não se esqueça de comentar.

😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo