Pular o menu

Arquivo JH

Planet Ecchi – To Love-Ru

:: 8 minutos de leitura

Um dos principais ecchis da atualidade com um tema singular envolvendo alienígenas.

LexusAutor(a)


 

To Love-Ru é uma série de mangá e anime escrito por Saki Hasemi e ilustrado por Kentaro Yabuki, mesmo criador de Black Cat. O mangá foi serializado pela Shueisha e foi publicado na revista Weekly Shounen Jump (Ichigo 100%, One Piece) entre 24 de abril de 2006 e 31 de agosto de 2009. Foram lançados 18 tankōbons no Japão pela Shueisha entre 11 de novembro de 2006 a 2 de abril de 2010. Uma continuação foi lançada em 4 de outubro de 2010 chamada To Love-Ru Darkness pela revista Jump Square (D.Gray-man e Claymore). 
 

Uma adaptação para anime de To love-Ru foi feita pelo estúdio Xebec (Ladies versus Butlers!, MM!) e dirigido Takao Kato, indo ao ar no Japão entre 03 de abril e 25 de setembro de 2008, e contendo 26 episódios. O anime usa personagens e temas gerais do mangá. Foram lançados três OVA’s apartir do dia 3 de abril de 2009 com pré-cópias dos volumes XIII, XIV e XV do mangá. Um adicional de mais três OVA’s foram lançados juntos aos volumes XVI, XVII e XVIII.
 

Em seguida, em outubro de 2010 foi lançada a segunda temporada de To Love-Ru intitulada Motto To Love-Ru e até recentemente foi divulgado, de acordo com a Jump Square magazine, que o mangá To Love-Ru Darkness ganhará uma adaptação em anime e a Staff da produção será uma junção da produção de ambas as duas temporadas anteriores tendo como diretor: Otsuki Atsushi (Motto To Love-Ru), character Design: Oka Yuichi (To Love-Ru) e o estúdio de produção : Xebec.
 

Um CD drama foi lançado em fevereiro de 2008 com a história original. O título To Love-Ru (Toraburu) é um trocadilho com as palavras “Trouble” (problemas) e rabu (love), que pode ser entendido como “problemas de amor”, que descreve o aspecto harém explícito da série
 

Interactive overview:
 

A história de To Love-ru gira em torno de Yuuki Rito, um estudante colégial que não consegue (em todos os casos), seja por vergonha ou por azar, se confessar para a garota de seus sonhos, Haruna Sairenji. Rito afirma ter se apaixonado por Haruna desde muito tempo atrás quando ouve um incidente na escola e todos os alunos e professores suspeitavam de Rito, menos a linda garota de cabelos azuis Haruna Sairenji, dizendo que acreditava que Rito e tinha certeza de que não foi ele que causou o incidente, Rito por sorte ouviu essa conversa da Haruna com uma colega de classe e nesse mesmo momento Yuuki Rito se via, sem dúvidas, apaixonado por Haruna. Rito passa a maioria de seus dias na escola junto a seu melhor amigo Saruyama Kenichi, com quem sempre comenta suas “tentativas” de se confessar para Haruna. Um certo dia, quando Rito volta a sua casa e vai até a banheira, na metade de seu banho, imerso em pensamentos sobre a Haruna, um objeto não identificado caí diretamente na banheira de Rito e uma misteriosa garota nua aparece do nada. O nome dela é Lala Satalin e ela vem de um planeta chamado Deviluke, onde é a herdeira do trono (princesa). Seu pai (rei de Deviluke) quer que ela volte para a casa, para que possa casar com um de seus candidatos a marido. Lala mesmo sendo uma garota se mostra muito inocente e desinibida para com a maioria das coisas, fato que mostrado na sequência após a queda dela na banheira de Rito e ele estar com as mãos nos peitos dela “por acidente” e mesmo assim ela não se importar. Rito após isso, assustado, sai correndo da banheira aos gritos até chamar atenção de sua irmã Yuuki Mikan, que vem em seu socorro e quando Rito tenta mostrar a garota nua em sua banheira ela não está mais lá, dando uma “impressão errada” para sua irmãzinha. Rito ainda tentando por a cabeça no lugar sobe para seu quarto e novamente se encontra com Lala semi nua de toalha.
 

E, assim, inicia-se um grande diálogo onde Lala explica tudo sobre si e sobre a existência de alienígenas como ela apresentando até sua roupa especial, que na verdade é um robô de alta tecnologia alienígena que possue uma consciência própria e se chama Peke. Com isso parte do enredo principal da série já está apresentado e depois de uma série de acontecimentos, no outro dia, Rito se encontra de manhã com Haruna, toma coragem e decide se confessar para ela, mas bem nessa hora Lala aparece na frente de Rito e ouve sua confissão de amor interpretando que Rito tinha se confessado para ela e estava apaixonado por ela, assim Lala quase que automaticamente “aceitando” os sentimentos de Rito afirmando que “com isso o contrato de casamento está completo”, Por fim ela acaba por decidir que quer se casar com Rito e ficar na Terra. Pelo mesmo motivo da fuga de Lala o comandante Zastin foi ordenado para trazer Lala de volta. Ele relata ao imperador que Rito poderia se casar com Lala, mas terráqueo diz que o casamento é impossível, a menos que seja com a pessoa de quem ele realmente gosta. O rei de Deviluke decide que, se Rito for capaz de proteger Lala, então ele poderá se casar com ela, mas se não puder protegê-la de seus outros pretendentes e não cumprir com as expectativas do rei, ele irá matar Rito e destruir a Terra.
 

Com base nisso tudo, é assim que é história de To Love-Ru, com diversas situações acontecendo, principalmente com Rito, Haruna e Lala, surgindo novos personagens influentes no decorrer da série e com uma grande, realmente grande, série de deslizes, quedas, surpresas e até as famosas visões de calcinhas (mesmo que por acidente), todas em seu mais auto “fan service” envolvendo o protagonista Yuuki Rito
 


 

Content review:
 

To Love-Ru se destacou por ser um dos principais nomes dos animes ecchis da atualidade, com um tema singular envolvendo alienígenas, pode não agradar a primeira vista, mas as cenas bem apimentadas convidam o otaku a continuar vendo, até se tornar uma “necessidade” ver um episódio após o outro. O gênero de harém, bem comum na maioria dos animes ecchis, é claro, mas não explicito, as personagens se envolvem com o protagonista Yuuki Rito sem tornar-se algo previsível ou medíocre, mantendo as personalidades, sem se perder no contexto em nenhum momento.

A própria história do anime contribui para as cenas ecchis do anime, afinal uma garota alienígena não possui os mesmos costumes que os humanos, não entende o motivo de ter que usar outras roupas, e adora criar aparelhos futurísticos que normalmente levam a muitas confusões. Importante ressaltar que a sua invenção e também mascote do anime, Peke, também faz o papel de suas roupas, deixando-a em situações inusitadas várias vezes e causando felicidade de nós otakus fãs de um bom anime ecchi.
 

Os traços dessa obra são simples, mas objetivos (muito bem feito), o melhor destaque disso são os próprios personagens, destaque nos corpos e nos olhos, diferente de parte do cenário que às vezes aparentam um pouco simplórios demais, como os de algumas séries semelhantes a ele. O conteúdo atraente dessa série pode ser deduzida em seu enredo, um garoto colegial vivendo sua vida naturalmente quando uma garota misteriosa aparece de surpresa em sua banheira, a partir disso o ecchi começa a agir, e o mundo de Yuuki Rito vira de ponta cabeça sendo obrigado a se tornar o homem numero 1 do universo para poder ter o direito de se casar com Lala e proteger a terra de ser destruída pelo rei de Deviluke.
 

A grande idéia cômica que cerca esse anime é mostrar o dia a dia de Rito após ele concluir a cerimônia oficial de noivado do planeta Deviluke, quando ele tocou “cheio de amor” os peitos da Lala enquanto a olhava calorosamente, afirma Zastin explicando a situação para Rito após entrar no quarto dele pela janela. Sendo assim Lala começa a morar com Rito com a permissão de sua irmã Mikan, pois seu pai (Saibai Yuuki) é um mangaká que não deixa o trabalho e sua mãe (Ringo Yuuki) uma estilista que vive viajando. Desde que Lala chegou a terra Rito vive entrando em confusões com as garotas da escola e com as invenções de Lala e entra em um grande dilema (triângulo amoroso) para decidir qual é a garota ele realmente ama Lala ou Haruna e é claro que isso vai gerar um grande distúrbio e uma série de situações que Rito nunca teria imaginado que poderia acontecer. 
 


 

Final details:
 

Em resumo To Love-Ru é uma obra magnífica e vale a pena conferir (os verdadeiros fãs de ecchi piram). Os destaques dos personagens na série, cada um com sua importância, nenhum excluído do começo ao fim e na segunda temporada (Motto To Love-Ru) uma mudança drástica é envolvida na apresentação do conteúdo aos otakus, com o surgimento de novos personagens importantes na série e tendo sua história contida em pequenos “quadros” como sub episódios rápidos, às vezes cada quadro mostrando uma variação de personagens, assim variando de protagonista para o melhor entendimento do público com os personagens "coadjuvantes" da história o que pode ou não agradar a o público que vem acompanhando To Love-Ru desde o início.  E como em toda boa história, mesmo sendo um ecchi com tema alienígenas, temos o tão adorado romance que não poderia faltar nessa obra (sempre com a esperança de que Rito decida-se logo). 
 

Confiram abaixo as openings de To Love-Ru e Motto To Love-Ru:
 


 



😒

Tags

    Compartilhar

    • Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Telegram
    Você precisa ativar seu JavaScript para acessar os comentários...
    Voltar ao topo